DF: professoras podem ser presas por maus-tratos

Pai de uma menina fez as gravações após suspeitar de duas funcionárias da escola; crianças eram maltratadas e caçoadas pelas mulheres

Professoras flagradas maltratando crianças podem ser presas no Distrito Federal. As gravações foram feitas pela família de uma menina de dois anos, que sofreu maus-tratos em uma escola de Samambaia, a 20 km de Brasília, e serão apuradas pela Secretaria de Educação do DF. Os técnicos do órgão devem visitar a instituição nesta sexta-feira.

O pai da menina, o consultor técnico Leandro Neiva, desconfiou do comportamento de uma professora e de uma monitora do Colégio Senso após notar que a filha estava evitando ir à escola. Ele resolveu colocar um gravador dentro da mochila da criança para descobrir o que estava acontecendo. 

Em uma das gravações, as crianças choram pedindo água e são caçoadas pelas duas mulheres.

"Todas as crianças tinham suas garrafinhas de água. O trabalho que eles tinham que fazer era só esticar o braço e pegar a garrafa e passar para uma criança. Quando pediam também para ir ao banheiro, eles não levavam. Quando as crianças faziam xixi na roupa, eles ameaçavam. Coisas absurdas. Minha filha era chama de nojenta", contou Neiva, que vai levar o caso à justiça.

A professora se demitiu, mas a monitora, que também maltratava os alunos, foi desligada do emprego.

O proprietário do colégio, Westerlington Vieira, já estuda medidas para evitar novos problemas. "Você pega uma pessoa que é pós-graduada, que é uma senhora de 47 anos e ela tem uma atitude dessas. Eu jamais imaginaria um comportamento desses. Estamos cuidando e colocando vídeo e áudio em todas as salas", explicou.

A polícia vai investigar o caso e as professoras podem pegar uma pena de seis meses e dois anos de detenção por maus-tratos às crianças.

Compartilhar

Deixe seu comentário