MC responde por apologia ao crime após prisão

Conhecido como Koringa, MC Kauan teria ligação com o PCC; ele foi detido por tráfico de drogas no litoral de São Paulo

Um cantor de funk ostentação preso no litoral paulista por tráfico também vai responder por apologia ao crime. Conhecido como Koringa, MC Kauan chega a fazer quatro shows em uma única noite. No repertório, músicas que enaltecem a bandidagem.

Kauan Mariz de Oliveira tem 22 anos e um patrimônio de fazer inveja: correntes de ouro, carros que valem um apartamento. Segundo os empresários, ele fatura R$ 15 mil por show e lota casas noturnas famosas da capital paulista e do litoral onde tem uma legião de fãs.

Pego pela PM com 19 pinos de cocaína e 22 frascos de lança perfume, ele alegou ser usuário de drogas. A família tentou evitar que os cinegrafistas registrassem a prisão. Kauan não é o primeiro MC endinheirado a levantar dúvidas sobre a renda e a ligação com o PCC (Primeiro Comando da Capital). 

MC Daleste, morto durante um show em Campinas no ano passado, também era suspeito de ter ligações com o crime. Ninguém foi preso depois que do assassinato do jovem em cima de um palco. A principal linha de investigação apontava que ele se envolveu com uma mulher de um traficante.

Compartilhar

Deixe seu comentário