Justiça bloqueia R$ 50 milhões do PCC

Esta é a maior quantia em nome da organização já encontrada pela polícia de São Paulo

A Justiça localizou e bloqueou R$ 50 milhões que pertencem, segundo investigações da polícia, à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). É a maior quantidade de dinheiro já encontrada em nome da organização.

O dinheiro era enviado para o Paraguai por meio de uma corretora de valores, localizada na zona sul de São Paulo, e abastecia empresas de fachada no país vizinho, responsáveis negociar armas e drogas.

Em julho, os investigadores prenderam Júlio Amarildo Ribeiro da Silva, apontado como tesoureiro da facção. Com ele foram encontrados vários depósitos em nome da empresa Agency Line, uma companhia de agenciamento de carga, que deveria funcionar em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. No endereço do negócio, porém, só há uma sala vazia.

A corretora que enviava tudo para outras empresas de fachada do Paraguai é a Tov, a mesma utilizada pelo doleiro Alberto Youssef com o dinheiro da propina desviada da Petrobras.

O objetivo agora é saber quem são os consultores financeiros que ajudaram o grupo, que atua dentro e fora dos presídios, a criar este esquema milionário para comprar drogas e armas fora do Brasil.

Compartilhar