Sósia de Hitler é expulso de audiência pública

Vereador pediu que homem vestido como Adolf Hitler se retirasse do parlamento; a apologia ao nazismo é considerada crime no Brasil

Um homem vestido como o ditador nazista Adolf Hitler foi expulso de uma audiência pública na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro na última quinta-feira (3). Ele havia se inscrito para discursar no parlamento. 

Na ocasião, a Casa debatia o projeto “escola sem partido”, do vereador Carlos Bolsonaro (PP), que proíbe professores de realizarem discussões políticas em sala de aula. 

O caso foi divulgado pelo vereador Jefferson Moura (Rede), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa, que expulsou o homem. “É inadmissível um indivíduo vestido de Adolf Hitler usar a tribuna do plenário para se expressar”, disse. “A democracia compreende o respeito às correntes políticas e o direito de se manifestar livremente, mas querer defender as ações de um ditador que matou millhões de pessoas é inaceitável”, acrescentou.

No Brasil, a apologia ao nazismo é crime pela Lei Federal 9459, que estabelece reclusão de um a três anos e multa para quem “fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo”. 

Você viu essas notícias?

Pelo segundo ano, Boechat é o jornalista mais admirado do Brasil

Papa confessa que pega no sono rezando

Jurado se apaixona e livra condenada da pena de morte nos EUA 

Assista 

Pessoas se unem em corrente humana durante enchente na Índia


Veja imagens 

Piscina de vinho de tinto é atração em hotel japonês

Hotel japonês proporciona aos turistas piscina de vinho tintoREUTERS/Thomas Peter

Compartilhar

Deixe seu comentário