Testemunha diz que homem pulou do helicóptero antes do acidente

Leiliane Rafael da Silva passava pelo local no momento da tragédia; jornalista Ricardo Boechat morreu aos 66 anos

Uma testemunha ouvida pelo Brasil Urgente afirmou na tarde desta segunda-feira que presenciou o acidente que causou a morte do jornalista e apresentador Ricardo Boechat. Segundo ela, um homem pulou do helicóptero antes da queda na Rodovia Anhanguera.

Leiliane Rafael da Silva afirmou que viu o momento em que ocorreu o acidente e que tentou ajudar. O helicóptero em que estava o âncora do Jornal da Band bateu contra um caminhão antes de explodir.

Além de Boechat, o piloto do helicóptero, Ronaldo Quattrucci, também morreu no acidente. O motorista do caminhão sofreu ferimentos leves.

“Eu vinha passando de moto na Anhanguera, sentido Cajamar. Falei para o meu esposo que o helicóptero parecia que iria cair. Vi uma pessoa pulando na pista. Na hora que falei que iria pegar fogo a carreta passou. Bateu de frente e a porta entrou no vidro, depois bateu no murinho, rodopiou e caiu em cima da pessoa que pulou”, afirmou Leiliane.

“Saí correndo e fui até lá. Fui a primeira a chegar. Tirei o moço do caminhão e fui ver lá. Tinha um pedaço na beirinha que desce, onde estava a moto, e outro na pista. O que estava na pista tinha um homem acenando com o braço”, afirmou a testemunha, que disse que a pessoa que pedia ajuda era Boechat.

“Ele estava debaixo de uns pedaços. Tinha várias peças em cima. Eu ia ajudar, mas um moço de laranja disse para não pegar ele, pois eu ia cair no fogo”, completou a testemunha.

Aos 66 anos, Boechat era um dos principais nomes do jornalismo brasileiro. Além do comando do Jornal da Band, ele também era âncora da rádio BandNews FM e tinha uma coluna semanal na revista ISTOÉ.

Filho de um diplomata brasileiro, ele nasceu em Buenos Aires quando o pai servia o Ministério das Relações Exteriores.

Boechat começou a carreira no jornalismo na década de 1970 como repórter do extinto jornal Diário de Notícias. O jornalista também passou pelo O Globo e chegou a ocupar a secretaria de Comunicação Social no governo Moreira Franco. Boechat ainda trabalhou nos jornais O Dia, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. Na Band, o apresentador chegou a ocupar o cargo de diretor de jornalismo.

Ao longo da carreira, Boechat acumulou muitos prêmios. O jornalista conquistou o Prêmio Esso em três oportunidades (1989, 1992 e 2001). Ele também é o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se, ganhando em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de TV).

Compartilhar