Não precisamos de mais armas, diz Lula, em mensagem sobre massacre

Ex-presidente criticou aqueles que defendem o armamento da população

Em mensagem enviada da prisão, em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) transmitiu solidariedade aos alunos e trabalhadores de uma escola estadual na cidade de Suzano, na Grande São Paulo, que nesta quarta-feira, 13, foi alvo de um ataque.

O ex-presidente criticou aqueles que defendem o armamento da população.

"Que aqueles que incentivam a cultura do ódio e da violência entendam que não precisamos de mais armas para que massacres com o de Suzano não se tornem cotidianos em nosso país. O Brasil precisa de paz", diz o texto de Lula publicado por sua assessoria.

O atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), também usou o Twitter para prestar solidariedade às vítimas, mas não tocou no assunto sobre armamento da população, uma de suas promessas de campanha.

Entenda
Dois ex-estudantes, confirmados como Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, chegaram atirando contra alunos e funcionários da escola Raul Brasil. Eles portavam um revólver 38, quatro jet luders (para recarregamento de arma), uma besta (uma espécie de arco e flecha) e machadinhas.

Cinco estudantes, duas funcionárias da escola, o tio de um dos assassinos e os dois atiradores, que se mataram após o crime, estão na lista de mortos. Onze pessoas seguem internadas.

Compartilhar