Nove pessoas morrem pisoteadas após tumulto em baile funk em São Paulo

Segundo a polícia militar, cinco mil pessoas estavam no local no momento da confusão

A polícia confirmou neste domingo, 1º, a morte de 9 pessoas pisoteadas na última madrugada durante um baile funk em Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. Segundo informações preliminares, tudo começou com uma perseguição próximo à comunidade, na Avenida Hebe Camargo.

A PM tentou abordar dois suspeitos em uma moto quando eles fugiram e dispararam contra os policiais. A dupla foi em direção ao baile funk para usar as pessoas como escudo humano, o que gerou um tumulto entre os frequentadores do evento. Segundo a corporação, cinco mil pessoas estavam no local na hora da confusão. Nove pessoas acabaram pisoteadas e foram resgatadas ao Hospital do Campo Limpo, mas não resistiram aos ferimentos.

Outras sete vítimas foram socorridas no Hospital do Campo Limpo - uma mulher apresentava ferimento provocado por disparo de arma de fogo. A partir do laudo será possível saber de onde partiu o disparo: dos criminosos ou da PM.

O delegado plantonista do 89º DP, Emiliano da Silva Chaves Neto, classificou a ocorrência como uma fatalidade e que, a princípio, não houve excesso da Polícia Militar. Em entrevista exclusiva à Rádio Bandeirantes, o porta-voz da PM, Major Massera, disse que um inquérito foi aberto para apurar o caso. Segundo ele, em nenhum momento os policiais atiraram dentro da favela.

O governador de São Paulo, João Doria, disse que lamenta a tragédia. Ele determinou que o Secretário de Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, apure de forma rigorosa as circunstâncias do episódio.

Compartilhar