Mulher pede separação e leva 15 facadas do marido na frente do filho

Caso aconteceu em Feira de Santana, interior da Bahia, no último final de semana

No vídeo acima é possível ouvir os berros de uma criança que presenciou o pai esfaquear a mãe 15 vezes no último final de semana, em Feira de Santana, no interior da Bahia. Esta foi a segunda tentativa de Jeremias Souza da Conceição, preso em flagrante, de matar Elisângela Santos Oliveira da Conceição na mesma noite.

De acordo com as informações divulgadas pela polícia, no dia do crime Jeremias pediu para o filho de 9 anos buscar um celular no carro estacionado na garagem do prédio. Neste momento, ele tentou atear fogo na mulher jogando álcool. Porém, ele não teve sucesso ao riscar o fósforo.

Quando o filho voltou ao apartamento, ele encontrou o pai dentro do quarto batendo na mãe e a esfaqueando. O vídeo foi gravado por vizinhos do casal, que chamaram a polícia. "São cenas muito fortes e chocantes. É uma situação estarrecedora, um crime bárbaro", conta a delegada Edileuza Cardoso, responsável pelo caso.

Elisângela foi socorrida por vizinhos e levada ao Hospital Unimed, em Feira de Santana. "Ela já teve alta e está passando bem. A nossa preocupação é porque, além da mãe vítima, tem a criança que presenciou essa cena de forma tão brutal. A gente precisa trabalhar muito para que isso possa ser apagado da mente dessa criança", contou Edileuza ao Melhor da Tarde.

Jeremias foi preso em flagrante após confessar o crime por não aceitar o pedido de separação da vítima, que também estava conversando com outro homem em um aplicativo de mensagens. "Ele foi levado a audiência de custódia e, de lá, ele já saiu algemado", disse a delegada.

Edileuza também ressaltou a importância de as mulheres denunciarem a violência física dentro de casa. "As vítimas de violência doméstica têm que se conscientizar que essa violência passa por um ciclo. A mulher perdoa o seu algoz, dá uma nova oportunidade para essa relação – às vezes, por conta dos filhos, por conta de uma dependência financeira ou emocional. Às vezes, essas situações acontecem na tentativa de salvar um relacionamento", explica.

"Então, quando a mulher chega na delegacia para registrar um fato, ela já vem sofrendo há anos, ela já está sendo violentada há muito tempo. Quando chega ao ponto de ir a uma delegacia, a mulher já esgotou todos os recursos que ela tinha. E, mesmo assim, ela ainda dá uma oportunidade a esse companheiro, em uma última tentativa de salvar esse relacionamento, terminando muitas vezes de forma trágica", lamentou.

Delegada Edileuza Cardoso fala sobre violência doméstica; assista

Compartilhar