Rádio Bandeirantes
Rádio BandNews FM 99.3
Band TV
Terraviva
Tamanho de fonte
Atualizado em quarta-feira, 16 de maio de 2018 - 10h36

Governo solicita à CIA documentos sobre a ditadura militar

O pedido foi realizado pelo Ministério das Relações Exteriores ao governo norte-americano
A ditadura militar no Brasil iniciou em 1 de abril de 1964 e que durou até 15 de março de 1985 / Kioshi Araki/Estadão Conteúdo A ditadura militar no Brasil iniciou em 1 de abril de 1964 e que durou até 15 de março de 1985 Kioshi Araki/Estadão Conteúdo

O Ministério das Relações Exteriores solicitou ao governo dos Estados Unidos a liberação de documentos produzidos pela CIA sobre a ditadura militar no Brasil. Estes registros seriam referentes as operações de tortura e morte de brasileiros.

 

Essa solicitação se deu por meio de um pedido do Instituto Vladimir Herzog. A motivação foi a revelação de um documento que atesta que o presidente Ernesto Geisel estava ciente de execuções de opositores do governo. Geisel é uma das 377 pessoas que foram responsabilizadas pela Comissão da Verdade por crimes nesse período.

 

Ivo Herzog, filho de Vladimir e presidente do conselho do Instituto, afirma que estes documentos vão dar mais clareza aos atos realizados pela Ditadura: “Estamos na expectativa que haja outros documentos para realizarmos um trabalho de pesquisa a fim de descobrir toda esta narrativa.”

 

Ele também cita a impunidade na forma de interpretação da Lei da Anistia no país. Para Ivo, ela é um instrumento de censura e serve para absolver crimes cometidos por agentes do Estado. “No mundo todo, a anistia ocorreu para proteger às pessoas que eram perseguidas pelo estado e estavam exiladas, eram presos políticos. Nenhum país do mundo anistiou os crimes cometidos pelo estado. Esta impunidade acaba criando uma tradição, uma cultura onde os agentes do estado se sentem no direito de fazerem o que quiserem”, diz Herzog.

 

Geisel ainda teria orientado João Baptista Figueiredo, que se tornaria seu sucessor no poder, a autorizar pessoalmente os assassinatos.