Rádio Bandeirantes
Rádio BandNews FM 99.3
Band TV
Terraviva
Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 10 de janeiro de 2019 - 18h01

Entidades carnavalescas confirmam Carnaval de Porto Alegre

O orçamento é de 176 mil reais
Orçamento afeta o critério de avaliação dos desfiles / Band RS Orçamento afeta o critério de avaliação dos desfiles Band RS

Dezesseis escolas de samba da Capital decidiram mobilizar esforços e retomar a tradição interrompida no ano passado após sete décadas. De acordo com o presidente da Escola Bambas da Orgia, Nilton Deoclydes Pereira, será um evento mais econômico.

 

“Que a diferença seja o tamanho do carnaval né, assim nós fazemos um carnaval, a princípio, bem pequeninho, só que ele não vai deixar de acontecer, essa é a ideia. Que a gente não tenha dois anos sem carnaval”.

 

Participarão dos desfiles nos dias 15 e 16 de março seis escolas do grupo ouro: Bambas da Orgia, Imperadores do Samba, Imperatriz Dona Leopoldina, União da Vila do IAPI, Estado Maior da Restinga e Império da Zona Norte. Além de oito escolas do grupo prata e uma do grupo bronze, mais a tribo carnavalesca "Os Comanches". O investimento será de 176 mil reais - um orçamento bem menor do que o de 2017, que chegou a ser orçado em 7 milhões de reais. Para arrecadar o valor, as entidades carnavalescas vão vender 190 camarotes e buscar parceiros comerciais, além de recursos vindos de leis de incentivo à cultura. O carnavalesco, Gustavo Giró, está otimista.

 

“Como diz o samba não pode parar. Então independente das circunstâncias, as vezes é necessário dar um passo para trás para dar dois para frente”.

 

O enxugamento no orçamento também vai afetar o critério de avaliação dos desfiles. Neste ano, não haverá o quesito alegorias e adereços, já que os carros alegóricos estarão fora da avenida. Caso alguma escola queira utilizá-los, não receberá pontos por isso. O que diretores de escolas não veem como problema, como Adriana Lopes, da Império da Zona Norte.

 

“Com carros alegóricos ou sem carros alegóricos, o que importa é as escolas participarem junto com o povo. Nós estamos pedindo a colaboração e a compreensão de todas as comunidades para que façam parte junto com essas escolas”.

 

A prefeitura se comprometeu a cortar a grama do Porto Seco e reparar as falhas no sistema de iluminação. Já as venda dos ingressos dos camarotes começam no dia 21 de janeiro em pontos no comércio.