Rádio Bandeirantes
Rádio BandNews FM 99.3
Band TV
Terraviva
Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019 - 12h14

Susepe realiza operação para recuperar material ilegal na PASC

Celulares e drogas entraram via drones
A ação começou por volta das 5h30min e se encerrou por volta das 11h. / Divulgação Susepe A ação começou por volta das 5h30min e se encerrou por volta das 11h. Divulgação Susepe

Drogas, celulares, carregadores e cabos USB foram apreendidos pela Susepe, na Operação Pente Fino, que fez uma vistoria pesada em celas da PASC, a Penitenciaria de Alta Segurança de Charqueadas. A ação vem em resposta aos diversos drones interceptados pelos agentes públicos, que levam muitos destes materiais para dentro do Presidio.

 

O Diretor-Superintendente da Susepe, Mario Santa Maria Júnior, comenta que o objetivo é retomar o modelo de alta segurança da penitenciaria. Ele foi ousado, mas vamos ousar ainda mais, o Estado está nos dando uma resposta e nós vamos dar uma resposta repressiva cada vez mais junto as causas prisionais. Até mesmo para reclamarmos a nomenclatura de alta segurança de charqueadas”, afirma.

 

O principal intuito é bloquear a comunicação de criminosos, através de telefones, com o mundo externo. Muitas facções do tráfico que existem no Rio Grande do Sul, são comandadas de dentro da cadeia, por líderes, que presos, utilizam celular para cometer novos crimes. “A comunicação do preso com o mundo externo se dá também da própria legislação que permite a visita com os familiares, então a comunicação sempre vai ter. O que nós não podemos como Estado permitir é a comunicação via aparelho de celular, a comunicação online com a criminalidade”, destaca.

 

Os bloqueadores de sinal de celulares, em torno das penitenciarias também passarão por vistoria da Susepe. Mario afirma que uma força-tarefa neste sentido vai ser projetada e executada, a partir dos próximos meses. “Nós vamos verificar junto a tecnologia de bloqueadores de sinais de telefone e vamos fazer um estudo para ver o impacto do cancelamento do sinal junto as penitenciárias”, relata.

 

Participaram da ativa, 70 agentes penitenciários, sendo 20 do Grupo de Ações Especiais da SUSEPE.