Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 8 de agosto de 2019 - 08h50

Suspensa a transferência do ex-presidente Lula para PII de Tremembé

 / Reprodução Reprodução

No final da tarde de quarta-feira (7) a maioria no plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu que o ex-presidente Lula deve permanecer preso na superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Por dez votos a um os ministros derrubaram a decisão da Justiça Federal no Paraná que determinava a transferência de Lula para a unidade Penitenciária II (PII) de Tremembé. Rapidamente a defesa do ex-presidente entrou com um pedido de suspensão da transferência. Parlamentares protestaram frente ao Supremo e o presidente do STF, ministro Dias Toffoli, submeteu em caráter de urgência o recurso ao plenário. Os ministros decidiram manter o ex-presidente em Curitiba até que a Segunda Turma do STF julgue o pedido de suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro e seja concluído o julgamento. Na ação, é pedido que o ex-presidente seja libertado, uma vez que a defesa alega parcialidade do ex-juiz no julgamento que condenou Lula.

No período da manhã a Justiça federal havia determinado a trasnferência do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) à unidade Penitenciária II de Tremembé. A decisão saiu horas depois de a justiça do Paraná autorizar a transferência de Lula da sede da Polícia Federal em Curitiba, onde ele está preso desde abril de 2018, para uma unidade prisional em São Paulo. A decisão foi assinada pela juíza Carolina Lebbos da 12ª vara federal de Curitiba. A determinação é do juiz Paulo Eduardo de Almeida Sorci da Justiça Estadual de São Paulo. Lula pode ser transferido de Curitiba pra cumprimento do restante da pena de 8 anos e 10 meses por condenação na lava jato.


* Ex-presidente Lula será transferido para Penitenciária II de Tremembé