Tamanho de fonte
Atualizado em terça-feira, 20 de agosto de 2019 - 18h44

Ginecologista preso por abuso sexual é liberado para cumprir regime aberto em Taubaté

. / Arquivo Pessoal . Arquivo Pessoal

A justiça concedeu progressão ao regime aberto para o ex-médico ginecologista de Taubaté Hélcio Andrade, condenado a 19 anos e 10 meses de prisão por abuso sexual contra pacientes durante o período em que prestou serviço na casa da mãe taubateana. As denúncias começaram em dois mil e dez, e na época ele chegou a ficar preso por nove dias mas foi solto beneficiado por um Habeas Corpus. Após ter a prisão decretada novamente ele ficou meses foragido até que acabou preso pela Polícia Civil no interior do mato grosso do sul, na fronteira com o Paraguai. Desde 2015, Hélcio Andrade cumpria a pena na p2 de Tremembé. De acordo com a defesa de Hélcio, após abrir o processo de pedido para cumprir pena em regime aberto, o Ministério Público solicitou um exame criminológico para averiguar se o réu já estaria em condições para retornar à sociedade. Hélcio foi considerado apto na análise e deixou a penitenciária de Tremembé no dia dezesseis de agosto. O advogado do réu ainda informou que ele cumpriu pena por aproximadamente quatro anos e meio.