Tamanho de fonte
Atualizado em segunda-feira, 30 de setembro de 2019 - 18h28

Cetesb avalia se vazamento de tanque da Revap causou dano ambiental em São José dos Campos

. / . . .

A Cetesb ainda avalia se houve dano ambiental provocado pelo incêndio na Revap em São José dos Campos, e assustou os moradores na tarde de ontem (30). Os bombeiros levaram seis horas para conter as chamas.

Nos últimos três anos a refinaria recebeu dezoito advertências e oito multas que juntas totalizam um milhão e duzentos e oitenta e nove mil reais. As principais causas destas infrações são por lançamentos de poluentes na atmosfera e quebra de exigências técnicas de segurança.

Sobre o incidente:

Eram três horas da tarde de domingo (30) quando as chamas começaram em diques de tanques que armazenam produtos usados na preparação de asfalto e óleo combustível. Pouco tempo depois do início do fogo, uma fumaça preta tomou conta da unidade da Petrobras e pode ser vista de vários pontos de São José dos Campos. Segundo os bombeiros, o incêndio começou depois que uma válvula de um dique de contenção estourou. Houve vazamento de gasóleo, iniciando a queima descontrolada do produto. O fogo ficou confinado em um dique com cerca de 2 metros de altura do material e em um tanque de combustível. O combate às chamas teve o apoio de 12 viaturas dos bombeiros, 29 homens, além de 20 brigadistas de dez empresas que formam a rede integrada de emergências. Foram seis horas de trabalho e mais de três mil litros de espuma usados para apagar o fogo. Ninguém ficou ferido.