Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 25 de junho de 2020 - 17h07

Com atraso, COI de Jacareí inicia operações com 34% de câmeras próprias

Com atraso, COI de Jacareí inicia operações com 34% de câmeras próprias / Divulgação PM Com atraso, COI de Jacareí inicia operações com 34% de câmeras próprias Divulgação PM

Previsto para começar a funcionar em fevereiro, o COI (Centro de Operações Integradas) dá início aos trabalhos nesta quinta-feira (25) com 34% de câmeras próprias em Jacareí. Isso, porque das 193 câmeras que começam a atuar, 67 são do município e 126 tiveram imagens cedidas pela ACIJ (Associação Comercial e Industrial de Jacareí). Segundo a prefeitura, outros 50 equipamentos próprios devem entrar em operação em julho (leia mais abaixo).

Promessa de campanha do prefeito Izaias Santana (PSDB), o sistema conta com câmeras que permitem identificar placas de veículos roubados, zoom de longo alcance no auxílio de reconhecimento facial e de objetos, além de controle nas entradas e saídas da cidade.

O objetivo do tucano era de colocar o Centro de Operações em funcionamento em 2017, mas o sistema só teve licitação aberta em julho de 2018. Em 2019, foi prevista a conclusão da implantação até fevereiro deste ano, mas a administração justificou o atraso com base na pandemia.

SISTEMA

Inicialmente, o projeto previa 116 câmeras próprias, que agora passaram para 117. Do total, o município coloca 67 em operação nesta quinta-feira e deve entregar as 50 restantes na segunda quinzena de julho. Em convênio com a ACIJ, foram adicionadas também 126 câmeras de monitoramento externo das lojas -- já em operação.

O município também firmou convênio com a Secretaria de Estado de Segurança Pública que prevê a autorização para acesso imediato ao banco de dados das polícias estaduais.

CUSTO

O contrato firmado previa R$ 5,4 milhões para que a Telemática Sistemas Inteligentes implantasse o sistema. Segundo o município, está em andamento um aditamento de cerca de R$ 192 mil. Os custos incluem também R$ 145 mil para reforma estrutural da sede do sistema e R$ 123 mil para reforma no sistema elétrico e implantação de ar condicionados no local. Ao todo, a conta é de cerca de R$ 5,8 milhões.