Weintraub diz que pedirá desculpas se China fornecer respiradores: ‘digo que fui imbecil’

Em entrevista ao Datena, ministro da Educação rebateu acusações de racismo, feitas pela embaixada chinesa, e disse que considera postagem uma brincadeira leve

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que pedirá desculpas de joelhos à China se o país asiático fornecer mil respiradores ao Brasil pelo preço de custo.

“Se eles venderem corretamente os mil respiradores, eu fico de joelhos em frente à embaixada, peço perdão e digo que fui um imbecil”, declarou Weintraub nesta segunda-feira, 6, em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, no programa 90 Minutos, da Rádio Bandeirantes.

INSCREVA-SE NO CANAL BAND JORNALISMO NO YOUTUBE E RECEBA O MELHOR CONTEÚDO QUANDO E ONDE QUISER

“Eu topo me humilhar para salvar a vida de brasileiros”, completou o ministro, que nega ter pedido desculpas, mas somente retirado a postagem a pedido de um amigo. Ele garante que a solicitação não partiu do presidente Jair Bolsonaro.

"Eu não pedi desculpas. Eu só retirei o post porque me pediram. Não foi o presidente [o autor do pedido]. Foi um colega meu que pediu. 'Abraão, vai me atrapalhar aqui...'. Sem problemas, eu tiro", explicou.

Para o ministro, o novo coronavírus surgiu de hábitos alimentares dos chineses, e eles deveriam ter alertado o mundo a produzir respiradores, mas preferiam lucrar. Para Weintraub, a China tem 60 mil respiradores e está fazendo leilão com os equipamentos.

"Não é a primeira crise, já é a quarta que vem da Ásia nos últimos 20 anos. E nos próximos 10 anos, se eles não mudarem os hábitos culturais e alimentares deles, vai ter outra crise dessa. E o Brasil precisa estar preparado. Mas o que me deixou chocado é quando descobri que eles estão vendendo equipamento para o mundo. Quando estourou a crise, em vez de alertarem, eles seguraram a informação e correram para fazer respirador para vender agora ao mundo inteiro, que esta desesperado”

“Cunho racista”

Postagem de Weintraub que causou polêmica com chineses
Postagem de Weintraub que causou polêmica com chineses
 
No último domingo, 5, o ministro criticou a China no Twitter usando quadrinhos da Turma da Mônica. Na postagem, Weintraub, disse que considerou uma “brincadeira leve” o post em que usou um quadrinho da Turma da Mônica para insinuar que o país asiático sairá fortalecido da crise.
 
Em resposta ao post, a Embaixada da China no Brasil disse que as declarações são “são completamente absurdas e desprezíveis, que têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis, tendo causado influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil”.
 
Weintraub rebateu as acusações de racismo e disse que estudou na China. “Fui chamado de racista, eles terão que provar”, declarou.
 
Veja a entrevista na íntegra:

Veja abaixo a resposta da Embaixada da China:

Compartilhar