Termoelétricas são fundamentais, diz Braga

Ministro de Minas e Energia afirma que governo não trabalha “no momento” com a possibilidade de corte no fornecimento de energia

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmou em entrevista ao Canal Livre que a utilização das termelétricas, apesar da poluição, garante o fornecimento de energia ao País sem a necessidade de um racionamento, no momento em que a população enfrenta uma crise hídrica no Sudeste.

 

Braga afirmou que o panorama atual não indica a necessidade de um racionamento, apesar do estado de alerta com o baixo volume armazenado pelos reservatórios das hidroelétricas no Sudeste. Contudo, ele não descartou novos posicionamentos do governo se o quadro se agravar até o final do ano.

 

 

“Não estamos entusiasmados com as termoelétricas, mas sem elas não seria possível enfrentarmos esta crise sem racionamento”, afirmou o ministro. “Em 2001, tínhamos um volume muito maior de água, mas não contávamos com as termoelétricas, por isso aconteceu o racionamento”.

 

“Deus tem nos abençoado”, declarou Braga ao Canal Livre. “Temos conseguido manter um sistema que interliga as bacias, apesar da crise hídrica. Temos outras matrizes, e as termoelétricas são a energia de base, pois funcionam com ou sem chuva”.

 

 

Sobre o aumento do preço da energia causado pelas termoelétricas, Braga evitou responsabilizar a presidente Dilma Rousseff, que em 2012 decidiu abaixar o preço da conta de luz para incentivar o consumo, em um quadro que se agravou agora com o risco dos reservatórios secarem.

 

“A indústria queria energia mais competitiva para incentivar as exportações, e foi o que a presidente fez. Não havia a previsão de que estaríamos com a crise que enfrentamos hoje. Estamos com um grande desafio e mesmo assim garantimos as condições para o abastecimento do Brasil”, declarou.

 

Veja todos os vídeos da entrevista com Eduardo Braga no Canal Livre.

Compartilhar

Deixe seu comentário