Comer fora de casa está 8% mais caro

Valor médio nacional da refeição subiu de R$ 30,48 para R$ 32,94 em 2016

Os brasileiros estão desembolsando 8% a mais para comer fora de casa. O valor médio nacional da refeição subiu de R$ 30,48 (em 2015) para R$ 32,94 no ano passado, segundo pesquisa da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert) e do Datafolha.

“A alta de 8% ficou acima da inflação de 2016 (IPCA), que ficou em 6,29%. Mas acompanhou a inflação de alimentos e bebidas, que foi de 8,62%”, diz Paula Cavagnari, diretora-presidente da Assert.

Segundo ela, o trabalhador que em 2016 recebia um salário mínimo (R$ 880) e não conta com vale-refeição desembolsaria cerca de 82% de seus ganhos para se alimentar. Em 2015, esse percentual era de 76%.preço de almoço por região

A pesquisa não apurou o valor médio do vale-refeição no Brasil. Segundo a Sodexo Benefícios e Incentivos, em sua base, o ticket médio do cartão refeição no Brasil é de R$ 28,31. Com isso, o benefício deveria ser 16,35% superior para cobrir o gasto com uma refeição diária.

O levantamento da Assert foi realizado em novembro de 2016 em 4.574 estabelecimentos de 51 cidades, sendo 23 capitais.

Cinco cidades apresentaram queda no preço da refeição: Rio de Janeiro (-1%), Porto Alegre (-1%), Fortaleza (-3%), Natal (-9%) e Palmas (-5%). Em Manaus, os preços ficaram estáveis. A maior alta foi registrada em Maceió, de 40%. Florianópolis tem a refeição mais cara do país: R$ 43,53.

Leia também: Cochilo após o almoço estimula o cérebro, diz estudo 

Compartilhar

Deixe seu comentário