McDonald’s: “Hambúrguer de minhoca é bobagem”

Diretor desmistifica rumores da “moagem de minhocas”; empresa mostra produção e revela números do consumo do último ano por brasileiros

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar dos boatos de que o hambúrguer do McDonald’s é fabricado com minhoca. O mito tem tanta força que até os diretores da empresa afirmam que já foram questionados sobre o assunto.


No início desta semana, O McDonald’s convidou jornalistas para conhecer a Food Town (cidade do alimento), em Osasco, local em que parceiros fabricam e distribuem a “matéria prima” dos 161 produtos vendidos pela rede de alimentação.

Os jornalistas foram convidados para conhecer as fábricas de pães, hambúrgueres e o centro de distribuição. Logo no começo da visita, o diretor de compras e qualidade do McDonald’s no Brasil, Celso Cruz, brincou com a história do “hambúrguer de minhoca”.

“A gente ouve muita bobagem sobre o hambúrguer de minhoca”, explica. “Nossa carne é bovina. Não se constroem 57 anos de credibilidade com enganação. Imagine produzir toneladas de hambúrgueres com minhoca. Não faz sentido nenhum. É pura bobagem”.

O McDonald’s tem 57 anos de fundação nos EUA. No Brasil, a rede opera há 34 anos. Atualmente, são mais de 700 restaurantes espalhados em 150 cidades do país. As carnes utilizadas pela empresa são oriundas de 18 frigoríficos cadastrados.

Cerca de 1,6 milhão de clientes consomem os produtos da empresa diariamente no país. São mais de 50 mil funcionários – recentemente, o McDonald’s foi condenado pela Justiça do Trabalho a pagar R$ 7,5 milhões de indenização para os funcionários.

No dia da visita, a empresa fabricava hambúrgueres de gado Angus. De acordo com explicações dos funcionários, a moagem da carne era 70% fresca e 30% de congelados, para dar “uma liga melhor” aos hambúrgueres.

Esteira com hambúrgueres fabricados pela Marfrig para a rede. Foto: Divulgação/McDonald's

No processamento dos hambúrgueres, a carne percorria filtros de dois milímetros, para evitar a passagem de pedaços de ossos. Esse processo criava uma “tira”, que lembrava uma minhoca. Funcionários acreditam que o mito surgiu através desse procedimento.

No último ano, foram consumidos 25 mil toneladas de carne bovina em hambúrgueres no País. Outros números impressionam: foram 9 mil toneladas de carne de frango, 34 mil toneladas de batata, 3.680 toneladas de alface e mais de 30,4 milhões de dúzias de pães.

“Todos os nossos ingredientes são aprovados pelo Ministério da Agricultura”, explica Celso Cruz. “Os agrotóxicos são controlados para combater as pragas e estão dentro da legislação. Vendemos produtos que estão no dia a dia das pessoas”.

Centro de produção de produtos do McDonald's em Osasco. Foto:Divulgação/McDonalds


A Food Town em Osasco foi criada em 1999 com mais de US$ 70 milhões em investimento (foto acima). Operam atualmente a Marfrig, responsáveis pelos hambúrgueres, a FSB Foods, fabricante de pães, e a Martin-Brower, operadora de logística.

Pães
A produção de pães do McDonald’s é uma das mais modernas do planeta. Em Osasco, são produzidos aproximadamente um milhão de unidades por dia. O processo é todo automatizado, desde a mistura até a embalagem.


FSB Foods produz os pães para os lanches do McDonald's. Foto: Divulgação/McDonald's


Carne de cavalo
No início do ano, a rede de fast-food Burger King se envolveu num escândalo de que seus hambúrgueres seriam fabricados com carne de cavalo na Irlanda. O McDonald’s afirmou que a chance desse fato ocorrer com seus produtos no Brasil é nula.

“Fomos abordados várias vezes sobre esse assunto”, afirmou Celso Cruz. “Qualidade faz parte da estratégia, e é isso que o McDonald’s preza. O consumo de carne de cavalo existe no mundo, não é crime. O problema é a falta de transparência quando você classifica um produto de bovino e entrega de outra forma”.

Compartilhar