Achei ótima a ausência do PT no debate, afirma general Augusto Heleno

Para militar, aposta do partido em manter Lula como candidato 'só pode ser perturbação mental ou fanatismo inexplicável'

Sobre a ausência de um candidato do PT no debate da Band nessa quinta-feira, 9, o general da reserva do Exército Augusto Heleno disse que achou "ótima" a situação. "O PT é um partido que defende a candidatura de um sujeito condenado a 12 anos por corrupção, em 2ª estância", disse, ao Portal da Band. "Isso, pra mim, só pode ser perturbação mental ou fanatismo inexplicável", criticou.

O general citou ainda o traficante Fernandinho Beira-Mar para relembrar a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "E se ele [Fernandinho] resolve ser candidato? Não estou comparando com Lula, mas as condições são as mesmas. Estão presos", falou.

Velhos amigos

Aliado ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), o militar disse que o presidenciável se saiu bem no debate da Band, realizado nessa quinta-feira, 9, mesmo que não tenha sido "empolgante" e sim "morno", na opinião dele.

Além disso, Augusto Heleno também considerou a escolha do vice, Antonio Hamilton Mourão (PRTB), como boa. Ele disse que os dois são amigos, "quase irmãos".

"O pessoal não conhece, mas Mourão é muito culto, um camarada extremamente competente e inteligente", contou.

Bolsonaro

Na opinião do militar, só com um candidato como o Bolsonaro, é possível acabar com a política do "toma lá, da cá": "vejo nele a oportunidade de mudança".

Por fim, Augusto Heleno disse que "uma coisa fundamental [no governo de Bolsonaro] é a austeridade": "Não vamos poder gastar dinheiro que é usado para ter uma série de mordomias. O país não tem mais como pagar", falou.

Compartilhar

Deixe seu comentário