Gays são 'nojentos', diz presidente de Uganda

Líder político fez afirmação um dia após assinar uma legislação que endurece penas contra homossexuais

Um dia após assinar uma legislação que endurece penas contra homossexuais, o presidente de Uganda, Yoweri Museveni, afirmou em entrevista à rede CNN que os gays são "nojentos". "O comportamento sexual é uma questão de escolha e os homossexuais são nojentos", afirmou Museveni. "Ser homossexual não é natural, não é um direito humano", acrescentou.

Nesta segunda-feira, o mandatário assinou uma lei que estabelece pena de até 14 anos para gays e prevê prisão perpétua para reincidentes. Os cidadãos também poder ser punidos por não denunciarem pessoas suspeitas de serem homossexuais.

jornal ugandense Red Pepper publicou uma lista dos "200 principais homossexuais" do país, com nomes completos e fotos, nesta terça. A lista inclui ativistas como Pepe Julian Onziema, além de um astro do hip hop e um padre da Igreja Católica. O governo dos Estados Unidos, por sua vez, repudiou a legislação de Uganda e disse que analisará um possível corte nas ajudas ao país. "Esse é um trágico dia para Uganda e para todos que levam os direitos humanos no coração", afirmou o secretário de Estado norte-americano, John Kerry. 

Compartilhar