EUA: 50 morrem em tiroteio em boate gay

Atirador teria feito reféns e foi morto por homens da SWAT

Um atirador matou 50 pessoas e deixou outras 53 feridas na boate gay Pulse, em Orlando, nos Estados Unidos, na manhã deste domingo. 

De acordo com a polícia americana, o responsável pelo ataque ao local chegou a fazer reféns. A SWAT foi acionada, invadiu o local e o atirador foi morto após trocar tiros com os agentes. Ainda não há informações sobre o que teria motivado o ato. 

Um porta-voz do FBI disse que o caso está sendo investigado como possível ato de terrorismo. As autoridades tentam descobrir se foi um ato de terrorismo doméstico ou internacional, ou se foi mais um caso de "lobo solitário", quando um terrorista age por conta própria.

Um dos frequentadores da boate, Rob Rick contou que o tiroteio teve início por volta das 2h, um pouco antes do encerramento da festa. "Todos estavam bebendo o seu último gole", disse. Ele estima que mais de 100 pessoas ainda estavam dentro da casa quando ouviu os tiros. Contou também que, quando tudo começou, jogou-se no chão e arrastou-se até à cabine do DJ. 

Imagens postadas na internet mostram o momento em que disparos são feitos na boate: 

As autoridades policiais da Flórida pediram que as pessoas fiquem longe da área onde se situa a casa noturna. Em seu Twitter, a polícia de Orlando afirmou que realizou uma explosão controlada do lado de fora da boate.

A página oficial da boate publicou no Facebook um texto em que afirma não haver confirmações sobre a dimensão da tragédia e pede orações aos feridos no incidente. “Por favor, continuem orando enquanto trabalhamos neste evento trágico”, afirma a publicação.

Veja nas imagens da BandNews o interior da boate onde ocorreu o ataque neste domingo:

Morte de cantora

O incidente na boate acontece um dia depois de um homem matar a tiros a cantora e ex-participante do programa The Voice Christina Grimmie, de 22 anos.

Com duas armas carregadas, dois pentes de munição e uma faca grande, Kevin James Loibl, de 27 anos, teria entrado no teatro The Plaza Live, onde a artista cumprimentava alguns fãs juntamente com os membros da banda Before You Exit, e atirado várias vezes à queima roupa. 

O homem se matou com um tiro no local, depois que o irmão de Grimmie, Mark, investiu contra ele, evitando que outras pessoas fossem atingidas.

A cantora chegou a ser levada para um hospital local em estado crítico, mas não resistiu aos ferimentos.

Após a série de ataques, a hashtag #PrayForOrlando aparecia em primeiro lugar entre os assuntos mais falados no mundo no Twitter, com mais de 90 mil mensagens nesta manhã. 

Veja onde fica a boate Pulse:

Você viu?

Escavação arqueológica acha vestígios de 11 mil anos no interior paulista

Fotógrafo captura peixe dentro de água-viva

a

Compartilhar

Deixe seu comentário