Ciclista espanhol que tentava atravessar Sibéria a -50ºC quase morre congelado

Aventura quase terminou em tragédia se não fosse por três jovens russos a resgatá-lo

O ciclista Andrés Abian, da cidade espanhola de Zaragoza, já pedalou grandes distâncias no Paquistão, no Nepal e na Mongólia. Sua última aventura, porém, foi atravessar a Sibéria no inverno. O problema é que, nesse vasto território russo, temperaturas de -50ºC e fortes nevascas são comuns nessa época do ano.

O espanhol, que já pedalava havia várias semanas, teve as mãos congeladas enquanto percorria a estrada para Kolimá, conhecida como parte do sistema das gulags, e teve de ser internado às pressas em um hospital da região.

No vídeo abaixo, publicado no Instagram, é possível ver o homem sendo resgatado quando estava dentro da barraca, descansando para continuar sua jornada.

“Eu sou um viajante experiente, estive em diferentes países. Tive azar nesse caso. Eu estava totalmente preparado para qualquer coisa: estava com roupa adequada e uma barraca. Mas eu adormeci e tirei minha luva. E, claro, a -50ºC você congela em cinco minutos”, explicou Andrés Abian à RIA Novosti.

De acordo com as últimas notícias da agência russa, o ciclista está fora de perigo e, atualmente, encontra-se hospedado em um hotel.

No entanto, não poderá voltar à Espanha nos próximos dias, uma vez que, nessas datas, há poucas passagens aéreas disponíveis para ir de Magadan a Moscou e de lá seguir a Espanha.

A imprensa russa, que acompanhou o caso com afinco, está se perguntando por que o espanhol teria iniciado a viagem de bicicleta com tanto frio.

“Se não fosse pelos jovens que o viram na estrada, ele teria morrido. Aparentemente, o cara não entendeu muito bem como são as geadas de Kolimá”, disse uma testemunha à RIA Novosti.

Andrés Abian reconhece que, por enquanto, não poderá continuar sua viagem, mas, enquanto espera a recuperação dos dedos, garantiu ao jornal El Mundo que tentará o feito novamente “assim que possível”.

Os três jovens da Inguchétia – Vakha Tchemurziev, Movsar Mutsolgov e Aslan Khabriev – que salvaram o espanhol receberão um prêmio no próximo dia 27 de dezembro, data em que a Rússia celebra o Dia do Socorrista de Emergência.

Leia mais notícias da Russia Beyond.

Compartilhar