Para maiores financiadores de campanha do Brexit, Reino Unido não deixará UE

Incerteza dos executivos Peter Hargreaves e Crispin Odey surge em meio a um impasse sobre o acordo firmado por Theresa May

Dois dos maiores financiadores da campanha do Brexit disseram acreditar que o projeto defendido será eventualmente abandonado pelo governo, com isso, o Reino Unido deve permanecer na União Europeia.

Peter Hargreaves, o bilionário que foi o segundo maior doador da campanha para deixar o bloco, e o gestor de fundos de investimento Crispin Odey disseram que acreditam na permanência do Reino Unido na EU, apesar da vitória de seu posicionamento no referendo de 2016.

Como resultado, Odey, que administra o fundo de investimento Odey Asset Management, disse se preparar para o fortalecimento da libra, depois de colher os frutos de apostar contra os títulos britânicos em meio a ampla preocupação do mercado sobre o impacto do Brexit.

O pessimismo dos doadores acontece em meio a um impasse no Parlamento britânico sobre o acordo de saída firmado entre a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, e a União Europeia, que tem causado incerteza sobre o surgimento do Brexit.

Segundo Hargreaves, que enriqueceu a partir de fundo de investimento Hargreaves Lansdown, o establishment político pretende desistir do Brexit, o que levará a uma geração de desconfiança na classe política britânica. O governo provavelmente pedirá uma extensão do processo formal de saída da UE e convocará um segundo referendo sobre a adesão do Reino Unido à UE.

“Eu desisti totalmente. Estou totalmente sem esperanças. Eu não acho que o Brexit acontecerá de maneira alguma”, disse Hargreaves, de 72 anos, um dos homens mais ricos do Reino Unido que doou 3,2 milhões de libras para a campanha, para deixar o bloco.

A reversão do Brexit marcaria o recuo mais extremo da história moderna do Reino Unido - o custo para realizar um novo referendo permanece alto. Os dois maiores partidos políticos do país estão comprometidos em deixar a UE, conforme o referendo de 2016.
Já para Odey, que doou mais de 870 mil libras para a campanha, embora não acredite em um segundo referendo, também não acha que o Brexit acontecerá.

“Minha visão é de que não acontecerá”, disse Odey em entrevista. “Eu simplesmente não consigo ver como aconteceria com essa configuração do Parlamento”. O Parlamento é amplamente considerado como pró-UE porque cerca de três quartos dos parlamentares votaram para permanecer no bloco, no referendo de 2016.

Odey disse ter mudado de opinião sobre a libra durante o último mês - parece que a moeda “pode ficar bem forte” e subir para 1,32 ou 1,35 em relação ao dólar.

Compartilhar

Deixe seu comentário