Incêndio em Notre Dame destrói parte da memória da arquitetura e da humanidade

Especialistas falam sobre a importância da catedral, que abrigava as famosas gárgulas, além de vitrais e painéis históricos

O incêndio que consome a Catedral de Notre Dame, em Paris, na França, nesta segunda-feira, 15, representa uma perda significativa para a história da arquitetura mundial, resume o professor da FAU/USP José Eduardo de Assis Lefevre, em entrevista à BandNews FM.

Lefevre explica que a igreja, que começou a ser erguida em 1163, faz parte da segunda geração de construções do estilo gótico e que as obras das torres duraram cerca de 100 anos para serem finalizadas.

O professor conta ainda que boa parte da estrutura é feita de pedras e vidros, mas que o telhado foi construído com madeira, o que favorece a propagação do fogo. Lefevre acredita que o problema pode ter sido no circuito elétrico, como ocorreu no Museu Nacional no Rio de Janeiro, também consumido pelas chamas em setembro de 2018.

Memória da humanidade

Fabiano Fernandes, professor-adjunto de história medieval da Universidade Federal de São Paulo, fala ainda a importância antropológica da Catedral de Notre Dame. Ele ressalta que a destruição da igreja representa o fim de uma parte da memória da humanidade.

Retrato da catedral tirada entre 1876 e 1880Retrato da catedral tirada entre 1876 e 1880 (Foto: Wikimedia Commons)

Fabiano Fernandes classifica o incêndio como uma perda irreparável para a História, citando, por exemplo, os vitrais construídos no século 12. Segundo ele, as ilustrações de reis e outras figuras nas janelas e painéis de Notre Dame foram feitas com técnicas já esquecidas, tornando impossível a recuperação total da estrutura.

Templo gótico tem mais de 800 anos de história:

A catedral também abrigava as famosas gárgulas, presentes na arquitetura gótica, que ficaram famosas na animação O Corcunda de Notre Dame, da Disney, uma adaptação de um dos clássicos do escritor Victor Hugo.

Uma das gárgulas da Catedral de Notre Dame
Uma das gárgulas da catedral (Foto: Wikimedia Commons)

“Quando um museu pega fogo, como infelizmente aconteceu conosco no Museu Nacional, uma parte da humanidade morre junto. A memória das pessoas estava entranhada naquelas pedras, figuras e imagens. Isso é muito triste.”

Veja fotos do incêndio:

Compartilhar

Deixe seu comentário