Vítimas de explosão de caminhão-tanque são enterradas no Congo

crianças estão entrs os mortos da explosão

As 235 vítimas da explosão de um caminhão-tanque na sexta-feira em Sange, leste da República Democrática do Congo, foram enterradas em três valas comuns, enquanto dezenas de feridos continuavam hospitalizados, informou Marcellin Cishambo, governador da província onde ocorreu a tragédia, Kivu Sur.

Entre os mortos haveria cerca de 60 crianças. O drama aconteceu em Sange, não muito longe da fronteira com Burundi, quando um caminhão-cisterna procedente da Tanzânia explodiu em pleno centro do povoado, segundo o porta-voz do governo provincial, Vincent Kabanga. "Houve um movimento de pânico. O combustível derramou e gerou a explosão, que se propagou pelo povoado", explicou Kabanga, acrescentando que muitas pessoas tentaram ainda roubar o combustível. Segundo a polícia de Bukavu, o fogo da explosão se propagou em dezenas de casas em Sange, todas basicamente feitas de terra e palha.

Já o acidente do caminhão teria acontecido por um excesso de velocidade. Uma fonte da Missão da ONU para a Estabilização do Congo (Monusco) declarou à AFP, sob anonimato, que cinco capacetes azuis paquistaneses estariam entre as vítimas. No entanto, o porta-voz da missão, Madnodje Mounoubai, assegurou que entre os mortos não havia ninguém das Nações Unidas.

Redação: Bárbara Forte

Compartilhar