Gaza: disparos contra escola deixam ao menos 15 mortos

Forças israelenses atiraram contra escola da ONU, em que civis palestinos estavam refugiados

Quinze palestinos, incluindo uma criança de um ano, morreram nesta quinta-feira em uma escola da ONU em Beit Hanoun, norte da Faixa de Gaza, onde vários civis estavam refugiados, segundo contagem de um fotógrafo da AFP.

Os corpos foram levados ao necrotério do hospital de Jabaliya, perto de Beit Hanoun. O porta-voz da agência da ONU para os Refugiados Palestinos (UNRWA), Chris Gunness, confirmou em seu Twitter que há "um certo número de mortos e feridos" no local.

Ao menos 718 palestinos morreram nos 17 dias de combates em Gaza, a maioria civis, segundo organizações de direitos humanos.

Do lado israelense, 32 soldados, dois civis e um trabalhador estrangeiro morreram.

De acordo com o UNICEF, 121 crianças foram mortas em ataques israelenses

Histórico


A operação militar na Faixa de Gaza foi colocada em prática após a morte de três jovens israelenses na Cisjordânia, seguida pelo assassinato de um adolescente palestino, incendiado vivo com gasolina. O governo israelense culpa o Hamas pela morte dos jovens, mas o grupo nega ter envolvimento. Os crimes ocorreram dias após o Hamas e o Fatah terem anunciado um acordo histórico de reconciliação para um novo governo de unidade nacional palestino

Compartilhar