Aparelho permite coleta de sangue no espaço

Desenvolvido por cientistas gaúchos, o dispositivo oferece análises mais precisas em gravidade zero

Um dispositivo criado por cientistas gaúchos está na lista de projetos que podem ser testados ainda neste ano pela Nasa, agência espacial americana.

O aparelho permite a coleta de sangue de astronautas em missões espaciais e evita a contaminação do sangue pelo ambiente e do próprio ambiente pelo sangue, em caso de estar infectado com algum tipo de vírus.

Desenvolvido pelo Centro de Microgravidade da PUCRS (Pontifícia Universidade Católica), sob supervisão de Thais Russomano, doutora em medicina aeroespacial, o aparelho tem caráter descartável e a instituição já procura por parcerias para a fabricação do produto em maior escala.

O funcionamento é simples; o lóbulo da orelha precisa ser massageado com um creme vasodilatador, para concentrar o sangue. Em seguida, encaixa-se o aparelho na orelha do paciente e gira-se o dispositivo, de forma que o bisturi interno se expanda e faça um corte milimétrico no lóbulo.

Ao girar novamente, o sistema de coleta suga de três a quatro gotas de sangue e o aparelho já pode ser acoplado à máquina de análise.

Compartilhar