Cunha: liminar não muda meu papel no impeachment

STF barrou possível tramitação em processo caso ele fosse negado pelo presidente da Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que a suspensão do rito para um eventual pedido de impeachment de Dilma não muda o papel dele.

Pelo o que Cunha estabeleceu no final de setembro, se ele rejeitasse o pedido ainda caberia recurso no plenário, que poderia ser proposto por qualquer deputado. Desta forma, bastaria o voto da maioria presente à sessão em questão para que o processo pudesse continuar em vigor.