Conheça a vila mais mal assombrada da Inglaterra

Desde 1955 surgem relatos de fantasmas em Pluckley, tornando o local uma atração para os corajosos e uma fonte de lucro para agências de viagem

Corajosos de plantão tem um destino certo quando forem visitar a Inglaterra. No sudeste no país, mais precisamente em Kent, está localizada uma pequena vila chamada Pluckley. Atualmente, o local é conhecido como o mais mal assombrado da Grã-Bretanha. 

As primeiras menções de fatos paranormais que se tem conhecimento são de 1955. Naquele ano, Frederick Sanders escreveu um livro de memórias citando a presença de dois fantasmas – uma cigana e um justiceiro – na vila. Desde então, estima-se que de 12 a 16 fantasmas foram vistos por lá, tornando o local uma atração para os investigadores de paranormalias. 

A fama alcançou tal patamar que, em 1989, o Guinness Book catalogou Pluckley devido às suas histórias de assombrar. 

igrejaBob Donkin / Flickr

O cemitério da vila também ficou conhecido por supostamente abrigar Lady Red, que há décadas busca pela cova de seu filho natimorto. Nos arredores, testemunhas disseram ter ouvido sons de casco de cavalo, provavelmente do fantasma cocheiro e seus animais que circulam pelas redondezas. 

Muitos outros fantasmas compõe essa lista, fazendo de Pluckley uma fonte financeira interessante para as agênciais de viagem. A época do Halloween é mais lucrativa para essas empresas. Os moradores, porém, não ficam muito felizes com os festejos que os turistas organizam por lá, mas, afinal, o que pode atormentar mais do que os antigos e fantasmagóricos residentes de Pluckley? 

bancoBob Donkin / Flickr

Você viu essas notícias?

Entenda por que traje social virou padrão para os taxistas em SP

ONU oferece tecnologia nuclear para combater o Zika vírus

Pesquisa aponta que crise reduziu consumo de 90% dos brasileiros

Assista

Veja as atitudes dos passageiros que mais irritam os taxistas

Irrita taxistaReprodução/Portal da Band

Galeria

National Geographic escolhe as melhores fotos de natureza

melhores fotos national geographicABDERAZAK TISSOUAKI/NATIONAL GEOGRAPHIC

Compartilhar

Deixe seu comentário