Veículos: venda de seminovos está em alta

Segundo Proteste, escolha do carro não pode ser baseada apenas na aparência e no preço

As vendas de carros zero vêm caindo no Brasil. Um balanço divulgado no começo do mês pela Anfavea, a entidade que representa as montadoras, mostrou que em fevereiro deste ano as vendas foram 21% menores do que em fevereiro do ano passado. De um mês para outro (janeiro para fevereiro), a queda foi de 5,5%. 

Em vez do carro zero, muitos brasileiros têm optado nos últimos meses entre duas alternativas: “ir dando um tapa” no carro que já têm ou trocá-lo, sim, mas por um seminovo, cujas vendas cresceram 33% em 2015.

A primeira alternativa significa estar mais atento à manutenção do veículo, como fazer revisões periódicas, trocar o óleo antes do vencimento, lavá-lo etc. Medidas simples que dão sobrevida ao “possante”. 

Já a escolha de um seminovo não pode ser apenas pela aparência e pelo preço. Fatores como manutenção, garantias, desvalorização e seguro devem ser levados em consideração. 

Segundo a Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, é também muito importante saber o que diz a lei sobre a negociação, como, por exemplo, a diferença entre comprar o veículo na loja ou de um vendedor particular. 

É indispensável ainda investigar as reais condições em que o veículo seminovo se encontra. Se você é daqueles que não entendem muito de mecânica, antes de decidir pela compra contrate um profissional para fazer uma vistoria e conferir se o carro está, realmente, em boas condições ou se foi “maquiado” pela loja. 

Você viu essas notícias?

Protesto na Avenida Paulista supera as Diretas Já

Vice do Flamengo desabafa sobre foto em protesto

Kramer: pedido de prisão de Lula inflou manifestações

Pixuleco enfrenta concorrência de "piratas" em SP

Assista:

Manifestantes cantam o Hino Nacional em São Paulo

Hino Nacional nos protestos de São PauloReprodução

Fotos:

Juiz da Lava Jato é exaltado durante as manifestações

Juiz da Lava Jato é exaltado durante as manifestaçõesWilson Dias/Agência Brasil

Compartilhar