João Amoêdo quer implementar ideia do Bolsa Família na saúde e na educação

Pré-candidato do Novo falou de suas propostas ao programa Band Eleições

Uma das ideias que compõe a agenda liberal de João Amoêdo, pré-candidato do partido Novo à Presidência, é usar a ideia do Bolsa Família e aplicá-la na saúde e na educação, diminuindo assim a atuação do Estado nessas áreas que são consideradas críticas no País.

“Eu entendo que o governo precisa prover educação e saúde, mas não necessariamente precisa administrar, até porque ele tem se mostrado um gestor ruim”, disse em entrevista ao programa Band Eleições. Com um cartão destinado para esse fim, seria possível comprar um plano de saúde mais barato ou então escolher uma escola da rede privada. “Isso não significa o fim das escolas públicas ou do SUS, e sim mais concorrência na área pública e condições para pessoas menos favorecidas darem mais oportunidades a seus filhos.”

Na opinião do presidenciável, o governo também administra mal suas contas públicas. “O Congresso custa R$ 29 milhões por dia, [o governo gasta com] mordomia para a elite do funcionalismo público, aposentadorias milionárias e privilégios para grandes grupos empresariais. Aí a conta não fecha”, disse.

Para Amoêdo, é preciso reduzir benefícios e uma das primeiras coisas que pretende fazer é a Reforma da Previdência. “Boa parte do déficit vem da pensão de funcionários públicos; esse desbalanceamento enorme precisa ser atacado.”

VÍDEO - Primeira parte da entrevista com Amoêdo

Aborto e porte de arma
Apesar da defesa de uma economia mais liberal para o País, Amoêdo diz que não gosta da ideia de rótulos, apenas observa que “países com mais liberdade econômica tem a melhor renda per capita e qualidade de vida”. Nos costumes, o pré-candidato defende que cada político do partido tenha direito a sua opinião.

À exemplo do aborto, ele diz ser contrário, mas admite a liberdade para a prática. “Queria propor que o assunto fosse levado para uma decisão estadual, como o modelo dos Estados Unidos, assim o Estado não obriga uma minoria a aceitar o que uma maioria quer.”

Já sobre o Estatuto do Armamento, o presidenciável acredita que as pessoas devem ter liberdade para ter porte de arma. “[Hoje] o bandido vê uma probabilidade baixa de ser preso e, quando é, fica pouco tempo na cadeia”, avalia, também fazendo a defesa para regras rígidas no porte de armamento. “[Se o cidadão usar a arma] em uma discussão de trânsito, a pena deve ser dura; liberdade tem que ter responsabilidade.”

João Amôedo no Band EleiçõesFoto: Band

Coligações
João Amoêdo disse ainda que não vê problema nas coligações, mas não quer que seu partido se alie com siglas que “insistem nas velhas práticas políticas”. “Não é razoável pegar dinheiro público para usar em partido político, não dá para fazer coligação assim, não dá para ter diálogo com essa turma”, exemplificou Amoêdo, que diz preferir fazer “coligações com o cidadão”.

VÍDEO - Segunda parte da entrevista com Amoêdo

Band Eleições
O programa semanal foi exibido nesta segunda-feira, à 00h25, e apresentado pelo jornalista Rafael Colombo. Para entrevistar o convidado, a bancada contou com as participações dos jornalistas Fernando Mitre e Julia Duailibi. O Band Eleições será reexibido às terças-feiras no BandNews TV e na Rádio Bandeirantes.

Compartilhar