Band e organizações de mídia se unem para combater fake news nas eleições

Através de redes sociais e aplicativos populares como WhatsApp, veículos irão receber denúncias de notícias e falsas e criar peças visuais para desmenti-las

Um projeto que reúne jornalistas de 24 diferentes empresas de mídia brasileiras, incluindo o Grupo Bandeirantes, está saindo do papel para identificar e desmentir as chamadas fake news, além de conteúdos forjados que possam influenciar as eleições presidenciais de 2018 no Brasil.

Batizado de Comprova, a coalizão vai monitorar notícias falsas que são compartilhadas nas redes sociais e também em aplicativos de mensagens populares, como é o caso do WhatsApp. A ferramenta vai ao ar oficialmente no dia 6 de agosto; até lá, ao longo de cinco semanas, a coalização vai trabalhar para engajar o público e divulgar seus canais de interação com o eleitor.

“O desafio do combate à desinformação exige uma ação coordenada”, diz Daniel Bramatti, presidente da Abraji e líder do Comprova.

Para identificar e combater a desinformação online, os jornalistas que fazem parte do projeto passarão por treinamento contínuo. As redações vão atuar juntas para verificar informações, depois criarão peças visuais - como imagens compartilháveis, gifs animados e vídeos curtos - para desmentir boatos na época das eleições. Cada peça será analisada por ao menos três veículos de imprensa diferentes.

Outro aspecto crucial é o cuidado de desmentir apenas informações equivocadas que já tenham tido um grande alcance ou que tenham potencial viral. A ideia é que a plataforma não corra risco de ajudar um boato ainda fraco a ganhar fôlego acidentalmente.

WhatsApp

Com o Brasil concentrando um grande número de usuários do WhatsApp (120 milhões de usuários no país, segundo dados de maio de 2017), o Comprova pedirá aos eleitores brasileiros que relatem rumores relacionados às eleições presidenciais a uma conta dedicada de WhatsApp.

O projeto vai usar sua conta do WhatsApp Business para reagir usando informação correta apurada pelos integrantes da coalizão. Os leitores e espectadores serão encorajados a compartilhar a informação correta para seus contatos de WhatsApp, prática que já se mostrou efetiva para corrigir boatos disseminados pelo aplicativo.

A coalização

A ideia do Comprova surgiu de ações de combate às fake news já testadas na Europa. Na França, vídeos-montagens do então candidato à Presidência Emmanuel Macron, em que ele supostamente usava um ponto eletrônico durante os debates eleitorais, foram desmentidos pelo trabalho de uma coalização de 37 empresas do país e também da Inglaterra. Este trabalho foi batizado de cross check, ou checagem cruzada. O mesmo já foi feito na Alemanha e também no Reino Unido.

No Brasil, onde o compartilhamento de notícias falsas é uma realidade que preocupa, o projeto é composto por empresas de mídia que inclui AFP, Band, BandNews, Canal Futura, Correio do Povo, Exame, Folha de S.Paulo, GaúchaZH, Gazeta do Povo, Gazeta Online, Jornal do Commercio, Metro Brasil, Nexo Jornal, Nova Escola, NSC Comunicação, O Estado de S.Paulo, O Povo, Poder360, piauí, Rádio BandNews FM, Rádio Bandeirantes, SBT, UOL e Veja.

A coordenação é da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) e tem apoio do Projor (Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo). O Google News Initiative e o Facebook Journalism Project ajudam a financiar o projeto, além de oferecer treinamento e apoio técnico.

Os profissionais envolvidos já receberam treinamento, por exemplo, da pesquisadora britânica Claire Wardle, especialista em combater noticias falsas pela internet.

“Quando nós compartilhamos algo no Facebook sem checar, é como se estivéssemos jogando lixo nas ruas. Nós temos a responsabilidade, como cidadãos, de garantir que estamos andando por ruas limpas. Isso significa que devemos sempre checar antes de divulgar”, diz Claire.

Grupo Bandeirantes

O Grupo Bandeirantes integra o projeto com as TVs Band e BandNews, as rádios Bandeirantes e BandNews FM, além do Jornal Metro e do Portal da Band. Ouvintes, leitores e telespectadores que já se comunicam diariamente com os veículos poderão enviar vídeos e notícias para que sejam checados pelos nossos jornalistas.

“O jornalismo da Band, que historicamente é referência na qualidade da cobertura eleitoral, entra nesse projeto para fortalecer ainda mais o poder do eleitor. O jornalismo é a melhor arma para proteger a democracia e para combater a desinformação online”, pontua André Luiz Costa, diretor executivo de Jornalismo da Band.

Acompanhe o projeto Comprova:

Site: projetocomprova.com.br

Facebook: facebook.com/ComprovaBR

Youtube: youtube.com/comprova

Twitter: twitter.com/comprova

Compartilhar