CRM-DF cassa o registro profissional do 'Doutor Bumbum'

O médico e sua mãe estão foragidos desde a morte de uma paciente após um procedimento estético em seu apartamento

O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) decidiu cassar o registro profissional do médico Denis César Furtado, conhecido como Doutor Bumbum nas redes sociais, que está foragido depois de uma paciente dele morrer no Rio de Janeiro.

O médico foi o responsável pela intervenção nos glúteos da bancária Lilian Calixto, de 46 anos, no apartamento dele na Barra da Tijuca. A mulher teve complicações e acabou morrendo em um hospital. Desde então, o médico e a mãe dele, a também médica Maria de Fátima Barros Furtado, não foram mais vistos.

O CRM do Distrito Federal, onde o Doutor Bumbum tinha registro, disse que ele já respondia por um processo ético-profissional desde março de 2016 e que o caso foi concluído decidindo pela cassação.

O Conselho Federal de Medicina vai analisar agora a situação do médico.

Leia a íntegra da nota divulgada pelo CRM-DF:

Com relação ao caso de Denis César Barros Furtado, o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) informa que:

- Em março de 2016, ele foi alvo de interdição cautelar para o exercício da profissão, a qual foi suspensa três meses depois pela Justiça Federal, em Brasília.

- O processo ético-profissional ao qual ele respondia no CRM-DF foi concluído, com a decisão de cassação do exercício profissional, que deve ser, obrigatoriamente, submetida ao Conselho Federal de Medicina (CFM).

- Estão sendo cumpridos os prazos e as etapas administrativas previstas na legislação competente.

Brasília, 19 de julho de 2018.
CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO DISTRITO FEDERAL

Assista: 'Doutor Bumbum' negocia para se entregar, diz advogada


Compartilhar

Deixe seu comentário