É falso que PM invadiu comitê de campanha do PT em busca de panfleto de Lula

Declaração e vídeo remetem a policiais em uma residência onde teria fotos do ex-presidente como candidato ao Planalto

É falsa a declaração acompanhada de um vídeo publicado no Facebook com imagens de uma suposta invasão da Polícia Militar (PM) de Santa Catarina a um comitê de campanha do Partido dos Trabalhadores (PT). A ação policial busca, diz um dos posts, panfletos com a foto de Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à presidência. As imagens não têm relação com o fato relatado.

A gravação mostra policiais durante invasão a uma residência onde a porta tem um adesivo da campanha presidencial do PT. “Polícia invade comitê do PT em Santa Catarina...entregavam panfletos com a foto de Lula pra presidente”, diz a descrição de uma das publicações que usou o vídeo. Um internauta comenta: “Quadrilha desgraçada...tudo pelo poder....não tem respeito com nada...são sujos”.

O Comprova chegou ao fato original com ajuda da busca por vídeos do Google e encontrou uma versão da gravação divulgada pela UnisulTV. As imagens goram gravadas na tarde da última terça-feira, 25 de setembro, por volta das 15h, no centro histórico de Laguna, em Santa Catarina, a cerca de 120 quilômetros ao sul da capital Florianópolis, mais precisamente na altura do número 33 da Rua Raulino Horn. A Polícia Militar invadiu a residência, na parte de cima de uma loja, e prendeu duas jovens por desacato. A corporação havia recebido denúncias de uma festa com som alto no local.

“Essas estudantes já tinham histórico de ficar mostrando partes íntimas, usando drogas e escutando som alto, gerando perturbação do trabalho e sossego alheio [dos comerciantes vizinhos e de pessoas que passam por ali]. O comerciante gerou a ocorrência após vários clientes reclamarem do fato. A GU (Guarnição) tentou negociar com as estudantes, mas não teve êxito, por este motivo teve que arrombar a porta”, disse a assessoria da Polícia Militar.

Segundo a PM, o evento não teve motivações políticas. “Não tem nada a ver com o recolhimento de materiais da campanha do Lula. Era um caso de perturbação do sossego alheio, em que coincidiu o fato das moradoras serem militantes do PT, mas não tem nada a ver com situação política”, declarou.

Na mesma data, o Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) determinou a busca e apreensão de materiais de campanha eleitoral nos quais Lula é apresentado como candidato ao Planalto. Em sua decisão, o juiz auxiliar Antônio Schenkel do Amaral e Silva menciona que é crime “divulgar na propaganda fatos que sabe inverídicos em relação a partidos ou candidatos e capazes de exercerem influência perante o eleitorado”. A ordem foi executada em seis cidades, mas Laguna não faz parte da lista. As cidades são: Chapecó, São João, Mafra, Blumenau, Araranguá e Florianópolis.

“O Partido dos Trabalhadores de Santa Catarina e a campanha Ana Paula Lima Federal 1313 esclarecem que o material impresso no qual consta a contratação do ex-presidente Lula foi executado e pago no início da campanha, no dia 15 de agosto”, diz a nota de imprensa divulgada no dia 26 de setembro pela assessoria jurídica da candidata.

Ainda que os comitês de campanha dos petistas Ana Paula Lima e Claudio Vignatti, candidato a deputado federal, foram buscados pelas forças da ordem naquele dia, respectivamente, em Blumenau e Chapecó, o vídeo mostra um evento não relacionado e em outra cidade catarinense.

A gravação com descrição enganosa viralizou na rede. Apenas um deles, publicado no Facebook por Emerson Persuhn Persuhn, teve até a manhã desta sexta-feira, 28 de setembro, mais de 72 mil visualizações de 3 mil compartilhamentos. Outras versões também circulam no Twitter, YouTube e WhatsApp.

Colabore

Suspeita que uma notícia seja falsa? Envie para nós notícias, fotos e vídeos que você recebeu por Whatsapp ou viu nas redes sociais e suspeita que sejam falsos.

Band: Whatsapp (11) 99901-0203
BandNews: Whatsapp (11) 99991 7676
BandNews FM: Whatsapp (11) 99959-2100
Rádio Bandeirantes: Whatsapp (11) 99904-8756
Metro Jornal: email leitor.sp@metrojornal.com.br

O Grupo Bandeirantes faz parte do Comprova, um projeto que reúne jornalistas de 24 diferentes empresas de mídia brasileiras para identificar e explicar rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação que possam influenciar a campanha para as eleições presidenciais no Brasil em 2018. Band, canal BandNews, BandNews FM, Rádio Bandeirantes e Metro Jornal fazem parte da coalizão "Jornalismo Colaborativo contra a Desinformação".

O Comprova foi inspirado por outros projetos do First Draft, como o CrossCheck – sua iniciativa de colaboração jornalística premiada, realizada durante a campanha eleitoral presidencial na França, em maio de 2017. Outros deles foram parcerias com agências de verificação de fatos nas eleições de junho de 2017 no Reino Unido e de setembro de 2017 na Alemanha.

Confira neste link todos os parceiros do projeto.

Compartilhar