Barragem está controlada e não há risco de rompimento, diz ministro

Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional, afirma que havia risco de transbordamento de água, e não de rompimento

Após quase quatro horas reunido com técnicos e diretores da Agencia Nacional de Águas (ANA), o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, disse que já está controlado o nível da barragem 6 que levou autoridades a evacuar localidades próximas depois do rompimento da barragem 1 em Brumadinho (MG).

Segundo Canuto, foi instalada uma segunda bomba que reforçou o escoamento da água. “Não houve risco de rompimento, mas [de transbordamento com] o aumento do nível da barragem. A situação já está controlada”, garantiu.

Segundo ele, as circunstâncias eram previstas, mas ocorreram em uma velocidade maior do que era esperado devido ao comprometimento do dreno da barragem 6. “Choveu e houve aumento do nível de água. Vamos recuperar o dreno para que a barragem 6 volte a trabalhar como esperado”, disse.

Canuto afirmou que a situação, de forma geral, está sendo monitorada e disse que o alerta não teve relação com alguma evidência de rompimento. “A sirene foi acionada como preocupação”, ressaltou.

A reunião – marcada para discutir tanto qualidade da água do Rio Paraopeba quanto previsões para o avanço dos rejeitos, estabilidade da Barragem VI e relatório de Segurança de Barragens 2017 – ainda continua ao longo deste domingo, 27. Não há previsão para um novo comunicado.

A tragédia na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG), deixou pelo menos 37 mortos. Quase 200 pessoas foram resgataras desde o acidente na tarde da última sexta-feira, 25.

Compartilhar