Onze feridos continuam internados após atentado em escola de Suzano

Dois adolescentes estão em estado grave; massacre na Grande São Paulo deixou 10 mortos

Onze feridos no ataque na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano (SP), nesta quarta-feira, 13, continuam internados em hospitais da região. Dois adolescentes seguem em estado grave. Até o momento, o massacre deixou 10 mortos, incluindo os dois atiradores.

Os feridos são: Adna Isabella Bezerra de Paula, de 16 anos, transferida do PSM Suzano para o HC/FMUSP - estável, na emergência; Anderson Carrilho de Brito, de 15 anos, transferido do PSM Suzano para o HC/FMUSP - estado grave; Beatriz Gonçalves Fernandes, de 15 anos, estável no PSM de Suzano; Guilherme Ramos do Amaral, de 14 anos, internado no PS de Suzano; Jenifer da Silva Cavalcante está no HC Luzia de Pinho Melo - estado grave, porém, estável; José Vitor Ramos Lemos está no Hospital Santa Maria - foi atingido por um machado; Leonardo Martinez Santos foi socorrido ao HC Luzia de Pinho Melo - fraturou o tornozelo e passou por cirurgia; Leonardo Vinícius Santa Rosa, de 20 anos, estava na Santa Casa de Suzano e foi transferido para o HC/FMUSP - estável no PS; Letícia de Melo Nunes foi transferida para Hospital Geral de Itaquaquecetuba - estável; Murillo Gomes Louro Benites, de 15 anos, socorrido ao HC/FMUSP pelo Águia - estável no PS; Samuel Silva Félix está internado no Hospital Santa Maria.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo informou ainda que foram enviados dois psiquiatras e um psicólogo para dar apoio no atendimento às famílias e demais envolvidos na ocorrência. Eles atuarão em conjunto com a equipe do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Suzano.

Mortos
Cinco estudantes, duas funcionárias da escola, o tio de um dos assassinos e os dois atiradores, que se mataram após o crime, estão na lista de mortos.

Os alunos que morreram foram: Caio Oliveira, de 15 anos, Claiton Antonio Ribeiro, de 17 anos, Kaio Lucas da Costa Limeira, de 15 anos, Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos, e Douglas Murilo Celestino, de 16 anos, que chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

As funcionárias da escola Marilena Ferreira Vieira Umezo, de 59 anos, e Eliana Regina de Oliveira Xavier, de 38 anos, também estão na lista.

Antes de entrar na escola, os atiradores mataram ainda Jorge Antonio de Moraes, de 51 anos, dono de uma locadora de carros que morreu no hospital. Ele era tio de um dos assassinos.

Compartilhar