Toffoli suspende decisão que permitia apreensão de livros na Bienal

Prefeitura do Rio está impedida de realizar vistoria e recolher material considerado "impróprio" pelo executivo municipal

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu a decisão da Justiça do Rio que permitia a apreensão de livros com temática LGBT na Bienal do Livro. Este domingo, 8, é o último dia de evento, que lota o Rio Centro, na Zona Oeste da cidade.

Com a decisão, a Prefeitura do Rio está impedida de realizar vistoria e recolher material considerado "impróprio" pelo executivo municipal.

O prefeito Marcelo Crivella tenta recolher exemplares de um gibi que mostra dois homens se beijando desde quinta-feira.

O pedido aceito pelo STF é da procuradora-geral da república, Raquel Dodge. Dodge argumentou que a determinação da Justiça do Rio "fere frontalmente a igualdade, a liberdade de expressão artística e o direito à informação", contidos na Constituição.

A procuradora-geral ainda disse haver uma "censura genérica".

Compartilhar