Grupo Bandeirantes e China Media Group fecham acordo de cooperação

Contrato prevê produções conjuntas e compartilhamento de conteúdo entre os países

O Grupo Bandeirantes de Comunicação e o China Media Group assinaram nesta segunda-feira, 11, um acordo de cooperação. O contrato prevê produções conjuntas e compartilhamento de conteúdo com o objetivo de promover o desenvolvimento das relações entre os dois países. O China Media Group reúne os principais veículos de comunicação chineses, como a rede de televisão aberta CCTV e o canal internacional de notícias CGTN.

Durante o evento, realizado na sede da emissora paulista no bairro do Morumbi, zona sul de São Paulo, o presidente do Grupo Bandeirantes, João Carlos Saad, destacou a importância da parceria para o mercado brasileiro. "Agora temos a oportunidade de mostrar para os chineses quem somos no dia a dia e conhecer a produção deles diariamente também. É uma aliança muito interessante. Assisti alguns programas e fiquei impressionado. Temos muita coisa para fazer e muito entrosamento", explicou.

Saad disse ainda que as expectativas para a troca de material são as melhores possíveis. "A China está mostrando um novo jeito de se relacionar, fazendo os povos crescerem através de seus investimentos e de melhoria, então acho que essa é uma área de diplomacia e investimento estratégico. As equipes estão cada vez mais entrosadas, o que nos ajuda a produzir mais conteúdo juntos. Temos um mundo de coisas acontecendo entre China e Brasil e vamos além", garantiu.

Shen Haixiong, presidente do grupo chinês, também celebrou a aliança. "Para nós tudo é muito novo e já sentimos a cordialidade do povo brasileiro ao chegar em São Paulo. O Brasil não é uma terra desconhecida por nós. Somos povos que nos respeitamos de forma mútua. O documentário Mundo China, por exemplo, já foi traduzido em inglês, espanhol, italiano e japonês e esperamos que o lançamento na versão em português possa ajudar o povo brasileiro a conhecer melhor nosso país. A prioridade do Brasil é a economia e a geração de mais empregos, e temos muitos pontos em comum nesse sentido. Vamos trabalhar juntos para que possamos nos conhecer melhor e explorar melhor nossas culturas".

As duas empresas pretendem trocar conteúdos, além de realizar coberturas jornalísticas conjuntas. O acordo ainda prevê parceria em produtos de entretenimento - como novelas, programas e documentários - e intercâmbio de tecnologias de rádio e televisão.

O governador João Doria acompanhou a assinatura do documento e além de enfatizar a proximidade do estado com a China, também afirmou que a iniciativa abrirá novas portas em diversos segmentos. "A Band, como sempre, está dando um passo à frente no seu tempo. Quando você conhece melhor um país e seu povo, acaba produzindo mais negócios e mais oportunidades. A China tem mais de 200 empresas em São Paulo, 302 mil chineses vivem aqui, ou seja, é o estado que concentra os maiores investimentos e a maior população chinesa no Brasil. Não tenho dúvidas de que esse acordo vai promover mais oportunidades para a visualização do que acontece na China pelos telespectadores e ouvintes do Grupo Bandeirantes, e os chineses terão a oportunidade de conhecer melhor o que acontece no Brasil. Isso vai incrementar o movimento de negócios, cultura e turismo no país", enfatizou.

A cônsul-geral da China, Chen Peijie, disse que espera que a sociedade renda bons frutos para ambos os lados. "A mídia deve transmitir cultura, amor e amizade não só para o próprio país, mas para os povos das outras nações. Esse acordo entre o China Media Group e o Grupo Bandeirantes tem cumprido esse papel. Espero que essa cooperação na área de mídia possa atingir resultados ainda mais concretos e bem-sucedidos".

Uma das atrações que já estreou recentemente nos canais BandNews TV e Arte 1 foi a série Frases Clássicas Citadas pelo Presidente Xi Jinping, ancorada pelo embaixador Sérgio Amaral. Em conversa com a imprensa, ele destacou a importância de se conhecer o país onde você investe. "Parabenizo a Band e a CCTV por essa iniciativa. No comunicado conjunto entre Bolsonaro e o Xi Jinping, presidente da China, é destacada a importância da cooperação na área da cultura e esse é um dos aspectos desse acordo, pois ele vai permitir que os brasileiros conheçam melhor a cultura chinesa, e os chineses terão a oportunidade de se familiarizar com a cultura brasileira. Este, aliás, é um ponto muito relevante para o intercâmbio comercial. O mundo oriental e o ocidental se complementam e nessa aproximação todos ganham, inclusive o público, que vai entender melhor uma realidade que é tão distante de nós e ao mesmo tempo tão próxima, já que a China hoje é nosso maior parceiro comercial. Você não faz comércio sem saber como funciona a sociedade onde você opera, então essa aproximação vai permitir um melhor entendimento de todos os campos", afirmou.

O deputado federal Fausto Pinato, presidente da Frente parlamentar Brasil-China, salientou que a parceria é um grande presente para todos os brasileiros. "A China não é mais só a maior parceira comercial, mas agora tem uma parceria com um canal de televisão sério que poderá ajudar, e muito, levando as notícias positivas sobre os avanços do nosso país. Não tenho dúvidas que esse acordo irá incrementar as relações entre as duas nações".

Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), também fez questão de acompanhar de perto a assinatura do acordo. "A China nos fornece grandes oportunidades de investimentos. Temos um país que tem uma economia pujante, com grandes reservas e com muito interesse em investir e comprar do nosso país, por isso fico muito feliz de ver essa parceria agora na área da comunicação".

Criado por meio da fusão da Televisão Central da China (incluindo a China Global Television Network), a Rádio Nacional da China e a Rádio International da China, o China Media Group foi formalmente estabelecido em 19 de abril de 2018. A empresa opera 47 canais de televisão, dos quais sete deles são internacionais e oferecem conteúdo de seis idiomas para 162 países e regiões em todo o mundo, além de 17 frequências de rádio direcionadas ao público chinês e programação de rádio em 44 idiomas estrangeiros direcionados ao público global. Também administra três grandes sites de notícias e 20 jornais e periódicos de circulação nacional. O China Media Group é a principal organização de mídia do mundo em escala de operações, com as linhas de negócios mais abrangentes, a maior produção de programas e as maiores coberturas.

Compartilhar