Sergio Moro continuará recebendo salário de R$ 31 mil até outubro

Remuneração é pelo período em que o ex-ministro da Justiça está proibido de exercer a a advocacia

O ex-ministro e ex-juiz Sergio Moro deve receber salário do governo por pelo menos seis meses, período em que foi impedido de exercer a advocacia.

A Comissão de Ética da Presidência da República decidiu por unanimidade que o ex-ministro da Justiça está proibido de exercer a profissão por ter tido acesso a informações sigilosas do Estado em um curto espaço de tempo.

A consulta foi feita por Moro como tradicionalmente ocorre neste tipo de processo já que a intenção dele era atuar no escritório da mulher dele.

A regra de quarentena vale para autoridades que têm acesso privilegiado a informações do Estado e ele vai continuar a receber o salário de R$ 31 mil até o dia 24 de outubro.

O colegiado permitiu que Moro dê aulas e escrevas colunas para veículos de comunicação.

Esse foi o primeiro caso do ex-ministro julgado na Comissão de Ética, mas existem outros que foram protocolados e que devem ser analisados em breve.

Compartilhar