Promotor que investiga Maluf também está sob investigação

O promotor que investigou o ex-prefeito Paulo Maluf e a bispa Sonia responde a processo administrativo no Ministério Público de São Paulo. Marcelo Medroni tirou uma licença remunerada para estudar. Ficou meio ano na Europa recebendo salário de quase R$ 20 mil por mês. Só que voltou sem ter assistido a nenhuma aula. O promotor recebeu autorização para fazer um pós-doutorado na Universidade de Bologna, na Itália. Na volta ao Brasil, ele justificou que não fez o curso porque o tempo de conclusão era maior do que seis meses. Marcelo Medroni alegou que fez pesquisas nesses período. O Conselho Superior do Ministério Público rejeitou as justificativas apresentadas pelo promotor. A corregedoria pode determinar uma simples advertência, um suspensão ou obrigar Marcelo Medroni a devolver o dinheiro do salário que recebeu.

Compartilhar