Marinha testa drones que serão usados no país

Entre 2015 e 2023 pelo menos cinco Vants devem estar a serviço da Marinha do Brasil

A Marinha testou, em Arraial do Cabo, na região dos Lagos do Rio, um veículo aéreo não tripulado, o Vant. Entre 2015 e 2023 pelo menos cinco Vants devem estar a serviço da Marinha do Brasil.

Se tudo der certo, A Marinha terá os veículos à disposição para patrulhar a Amazônia Azul. A área de três milhões de quilômetros quadrados, que abrange todo o litoral do país, é muito importante por causa da biodiversidade.

A Marinha decidiu testar dois entre sete modelos apresentados. Os drones, como também são conhecidos, foram lançados do navio patrulha oceânico Apa, a cerca de 13 quilômetros de Arraial do Cabo.

Aqui do container, os operadores conseguem controlar a velocidade, a altitude e ainda fazem a captação das imagens.

Os equipamentos são bem similares: têm pouco mais de um 1,70 m de comprimento e podem voar até seis mil metros de altura e com autonomia de quatro horas, antes de serem reabastecidos. A velocidade chega a 150 quilômetros por hora. A câmera vai alojada na parte de baixo das aeronaves.

A ideia da Marinha é comprar cinco drones até 2023 e até 2030 dobrar a quantidade de veículos aéreos não tripulados.

Compartilhar