CNJ: 122 magistrados têm união homossexual

Esta é a 1ª vez que o órgão mapeou informações sobre a magistratura brasileira, dando informações sobre gênero, estado civil e etnia

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) divulgou nesta segunda-feira que 122 magistrados - de um total de 10,7 mil juízes - informaram ter uma união estável homossexual.

O número é o equivalente a 1,1% dos entrevistados.

Esta é a primeira vez que o órgão mapeou informações sobre a magistratura brasileira, dando informações sobre gênero, estado civil e etnia dos juízes.

Apesar dos homens ainda serem maioria entre os juízes brasileiros, as mulheres ganharam mais espaço. Até os anos de 1980, elas representavam 21,4% dos magistrados. No ano passado, os juizados já contavam com 35,9% de mulheres.

Segundo dados do conselho, 87% das juízas afirmam que os concursos para seleção de magistrados são “imparciais”. 

Compartilhar