PSOL quer que Cunha deixe presidência da Câmara

Partido ameaça entrar com representação no Conselho de Ética para que parlamentares envolvidos no Lava-Jato percam comando de mesas e direções em Brasília

O PSOL divulgou uma nota na noite desta sexta-feira na qual pede o afastamento dos políticos envolvidos na lista do Lava-Jato, revelada pelo STF. Dentre os acusados de corrupção na Petrobras estão os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, ambos do PMDB.

“O PSOL entende que os investigados que ocupem posições de mando no Congresso (Mesa Diretora, Comissões, Relatorias e no colegiado do Conselho de Ética) devem reconhecer-se impedidos e afastar-se das funções, até que se concluam as investigações”, divulgou em nota.

O partido ameaçou entrar com representações se os envolvidos continuarem nos cargos. O principal nome da Câmara é o de Cunha, que foi eleito presidente e tem travado duras batalhas contra Dilma Rousseff.

“O PSOL examinará detalhadamente cada pedido de investigação feito pelo Ministério Público, e, de acordo com a robustez dos indícios, avaliará representações no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar”.

Veja fotos dos políticos da lista da Lava-Jato
O PP é o partido com o maior número de políticos mencionados, com 32 no total. O PMDB aparece em seguida, com sete. PT conta com seis nomes. PSDB e PTB têm um cada.

Compartilhar