Eleições: Lula não acredita nas chances de Bolsonaro e diz que Doria 'não é nada'

Ex-presidente ainda citou Haddad como candidato alternativo do PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) falou sobre suas expectativas para o pleito presidencial de 2018 aos jornalistas José Trajano, Juca Kfouri e Antero Greco, que o entrevistaram para o canal Ultrajano do YouTube.

O líder petista disse que quer voltar a assumir a Presidência e provar "que é possível recuperar o país". Lula também comentou sobre possíveis adversários na eleição. "[Jair] Bolsonaro (PSC) não disputa e, se disputar, não tem chance. [João] Doria (PSDB) por enquanto não é nada, é só o João trabalhador que não trabalha. Pode ser o [Geraldo] Alckmin (PSDB) ou podem tentar inventar alguém, não sei quem", analisou.

O ex-presidente comentou ainda a possibilidade de um candidato alternativo para o PT.
"[Fernando] Haddad (PT) pode ser uma personalidade importante, se ele se dispuser a percorrer o Brasil", disse citando o ex-prefeito de São Paulo.

Moro e Lava Jato

Na entrevista, o líder petista comentou as decisões do juiz Sérgio Moro, que bloqueou bens e contas bancárias e o condenou a nove anos de prisão no processo do tríplex do Guarujá. "Eles não estão julgando o Lula, estão julgando um jeito de governar. Acharam conta no exterior do [José] Serra (PSDB), do Aécio [Neves] (PSDB); por que não acharam a minha?", questionou. "Estou como o técnico do Corinthians; cada jogo é um jogo. Em algum momento terá Justiça."

Lula fala sobre carro que Moro não confiscou: 'espero que achem, foi roubado'

O ex-presidente também afirmou que a Operação Lava Jato está levando o país à destruição e também reclamou da 'perseguição diária' que sofre. "Nem o velho Prestes sofreu o massacre diário que eu sofro todo santo dia", afirmou.

Dilma

Lula comentou ainda o processo que levou ao impeachment de sua aliada Dilma Rousseff (PT). "Dilma errou ao não privilegiar o diálogo. Às vezes eu acho que ela achava uma perda tempo conversar. Mas se o cara foi eleito deputado, ele tem importância. Dilma tinha dificuldade na relação política, não estava no cotidiano dela."

Leia também:

Lula deve depor novamente ao juiz Sérgio Moro

Lula tem R$ 9 milhões bloqueados em planos previdenciários

Entenda a Operação Lava Jato:

Compartilhar