Da prisão, Lula diz que o Brasil é governado por um ‘bando de maluco’

Ex-presidente concedeu entrevista exclusiva na qual criticou o atual governo. “Imagine se os milicianos do Bolsonaro fossem amigos da minha família?”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) concedeu entrevista exclusiva para os jornais Folha de S. Paulo e El País na sede da Polícia Federal de Curitiba, no Paraná, onde está preso após ser condenado, em segunda instância, no caso tríplex do Guarujá.

Na entrevista, Lula criticou o atual governo de Jair Bolsonaro (PSL) e disse que o Brasil está sendo comandado por um “bando de maluco”. “O País não merece isso, sobretudo o povo não merece isso”, pontuou em conversa com os jornalistas Mônica Bergamo, também colunista da BandNews FM, e Florestan Fernandes Junior. O ex-presidente disse ainda que o Brasil precisa fazer uma “autocrítica geral” após a eleição de Bolsonaro.

Lula também reclamou da cobertura midiática quando o assunto é ele e quando o foco é o presidente Bolsonaro. “Imagine se os milicianos do Bolsonaro fossem amigos da minha família?”, indagou ao fazer uma referência a parentes de milicianos empregados pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL), um dos filhos do presidente, quando este era deputado estadual pelo Rio de Janeiro.

Sobre a polícia externa do atual governo, Lula afirmou jamais ter visto um “nível tão baixo” e que seu ex-chanceler, Celso Amorim, tem uma “dívida” por ter deixado Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores, seguir carreira no Itamaraty.

O petista também fez críticas a Sérgio Moro, atual ministro da Justiça e responsável por sua condenação na Lava Jato em primeira instância. “Sempre riram de mim porque falava ‘menas’; agora, o Moro falar ‘conge’ é uma vergonha”, disse.

O ex-presidente ainda falou na necessidade de diálogo entre os partidos de esquerda.

Morte do neto

Lula falou ainda sobre a morte de seu neto Arthur, de apenas sete anos, e chorou. “Às vezes penso que seria mais fácil que eu tivesse morrido. Já vivi 73 anos, poderia morrer e deixar meu neto viver.”

Prisão

Questionado sobre a possibilidade de passar o resto da vida na prisão, o petista foi categórico: “não tem problema”, respondeu. “Eu tenho certeza de que durmo todo dia com a minha consciência tranquila. E tenho certeza de que o [Deltan] Dallagnol [procurador da Lava Jato] não dorme, que o Moro não dorme”.

Mônica Bergamo conta detalhes de entrevista com Lula:

Compartilhar

Deixe seu comentário