Janaina Paschoal pede para Bolsonaro deixar de ouvir filhos e Olavo

Deputado estadual quer reflexão e diz que nunca mentiu para o presidente da República

A proximidade de Jair Bolsonaro com o escritor Olavo de Carvalho foi criticada por Janaina Paschoal. Nesta quarta-feria, 15, a deputada estadual pediu para presidente deixar de ouvir o "guru", além de tratar Carlos Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro e Flávio Bolsonaro apenas como filhos.

"Peço a Bolsonaro que pare de ouvir Olavo. Ele tem uma obra incrível, mas a obra não se confunde com o autor. Peço a Bolsonaro que pare de ouvir os próprios filhos. Siga amando seus filhos, mas os afaste, por favor", escreveu em sua conta no Twitter.

"Muitos querem derrubar Bolsonaro, mas não somos nós! Nós enfrentamos todos os riscos para dar uma chance ao país. Bolsonaro, reflita! Eu nunca menti para o Sr! O Sr sabe!", completou.

Também na rede social, Janaina Paschoal criticou Fernando Henrique Cardoso por citar um possível impeachment de Bolsonaro. A política do PSL afirmou que o ex-presidente é "o mais letrado dos petistas".

"Muito curioso, quando eu pedi o impeachment de Dilma Roussef, com base em crimes graves, fartamente demonstrados, FHC saiu em defesa da ex-Presidente, diminuiu minha denúncia, mesmo confessando não ter lido... depois, serviu como testemunha de defesa de Lula em vários processos.Agora, no nascedouro do governo Bolsonaro, ele diz aos sindicalistas, que o impeachment pode ser inevitável. E ainda tem quem diga que FHC era o líder da oposição ao PT!? FHC é o mais letrado dos petistas!", declarou.

Janaina ainda falou sobre os protestos que acontecem nesta quarta-feira, 15, por causa dos cortes de verbas da educação. Porém, ela acredita que os atos tem uma motivação diferente da anunciada.

"Acreditem, as manifestações de hoje não têm nada a ver com cortes na educação, nem com reforma da previdência. Os infiltrados usariam qualquer desculpa para criar o factoide da insatisfação, com o fim de derrubar Bolsonaro. Peço, encarecidamente, àqueles que ajudaram a elegê-lo que parem de brigar entre si. É isso que eles querem. É assim que se fortalecem. Parem de brigar internamente! A briga com os verdadeiros opositores (que estão unidos) está só começando!", disse.

"Afastem as teorias da conspiração da mente... Não houve um único grupo (ou pessoa) responsável pela vitória de Bolsonaro. Houve um povo cansado que se uniu e abraçou nossa única alternativa naquele momento. Caiam na real!", acrescentou.

Compartilhar