Rodrigo Maia espera que reforma seja votada em dois turnos até essa sexta-feira

Ao programa Brasil Urgente, presidente da Câmara definiu a proposta como “dura, mas fundamental”  

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), celebrou a aprovação - em primeiro turno - da reforma da Previdência na Casa na noite de quarta-feira, 10. Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da Band, o deputado considerou o episódio como uma “vitória do Brasil”.

“Desde a redemocratização não havia uma votação tão polêmica, com um resultado tão contundente”, afirmou Maia ao comentar os 379 votos a favor da reforma. “É importante ter um Congresso reformador. Não só na Previdência, mas no sistema tributário, na administração pública, nos recursos humanos e na área social. Estamos custando muito para a sociedade brasileira e está sobrando poucos recursos para investir na qualidade de vida dos brasileiros.”

Maia espera que a reforma da Previdência seja aprovada em segundo turno pelo plenário até essa sexta-feira, 12. “Estamos trabalhando para isso”, ressaltou. “Tenho me reunido com líderes da maioria, com partidos da oposição, tentando construir um acordo de procedimento para que todos os destaques sejam votados até essa quinta-feira, 11, para que na sexta a gente já entre com a votação em segundo turno.”

Destaques

O presidente da Câmara comentou alguns destaques que a Casa vai analisar nesta quinta-feira, como o benefício para mulheres. “Temos com um acordo com a bancada feminina de reduzir o tempo de contribuição das mulheres de 20 anos para 15 anos”, exemplificou.

Maia também citou os destaques que envolvem as aposentadorias de policiais da União, já que as forças de Estados e municípios ficaram de fora. “Estamos dialogando com policiais federais e policiais rodoviários federais. Eles queriam tirar a idade mínima de 55 anos, mas isso não dá, é uma sinalização ruim para a sociedade. Eu defendo que todos contribuam para essa reforma. Ela é dura, mas fundamental para equilibrar o sistema previdenciário. O que nós podemos, e vamos fazer, é criar regras de transição para a categoria”, justificou o deputado.

Por fim, Rodrigo Maia falou ainda sobre a aposentadoria de professores da rede federal. “Não adianta priorizar uma idade mínima muito baixa. Nós sabemos que os professores trabalham muito; meu pai e meus avós foram professores. Mas se nós abaixarmos muito a idade mínima, aumenta o déficit, aí falta dinheiro para melhorar a estrutura da educação brasileira.”

Confira a íntegra da entrevista de Rodrigo Maia:

Compartilhar