Em live, Bolsonaro nega envolvimento no caso Marielle e ataca TV Globo

Presidente teve nome citado em registros da portaria do condomínio no Rio em reportagem do Jornal Nacional

Logo após a divulgação de uma reportagem da TV Globo que revelou registros da portaria do Condomínio Vivendas da Barra , o presidente Jair Bolsonaro fez uma live em sua página do Facebook negando envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

“Fui surpreendido com uma matéria sobre o depoimento de um porteiro onde um dos suspeitos de matar Marielle teria se apresentado na portaria, ligado na minha casa e o porteiro reconheceu como se fosse uma voz minha e autorizou a entrada no condomínio”, disse o presidente.

Bolsonaro questionou o governador Wilson Witzel sobre o vazamento do processo que a reportagem teve acesso e corre em segredo de justiça.

“Ou o porteiro mentiu, ou o induziram a cometer um falso testemunho, ou escreveram algo no inquérito que o porteiro não entendeu”, justificou.

O presidente colocou em questão também os motivos que teriam levado a TV Globo a veicular a reportagem, dizendo que seria um ataque direto ao governo e sua família.

“Qual a intenção disso tudo? O tempo todo ficam em cima da minha vida, dos meus filhos [...] Tiveram acesso ao processo, constroem uma narrativa e me colocam como um dos suspeitos de ter participado do assassinato da Marielle Franco”, frisou.

Reportagem

Segundo a reportagem, o porteiro disse para a polícia que, no dia da morte de Marielle, um dos suspeitos do crime, o ex-policial Élcio de Queiroz, esteve no condomínio, local em que morava outro suspeito do caso, o sargento reformado Ronnie Lessa, e onde o presidente Bolsonaro possui residência.

A citação ao nome de Jair Bolsonaro pode levar o caso ao Supremo Tribunal Federal (STF), já que, por lei, a Suprema Corte deve analisar esse desdobramento.

Ainda de acordo com a reportagem, o livro de visitantes do condomínio registrou a entrada de Élcio às 17h10. Ele disse que iria até a casa de número 58, que pertence a Jair Bolsonaro.

O porteiro ligou para a casa 58 para obter autorização para a entrada de Élcio. Ainda segundo o funcionário, uma voz se identificando como "Seu Jair" atendeu e autorizou a entrada do ex-PM.

Compartilhar