Disputa entre alas militar e civil-ideológica explica mudanças no governo

Presidente Jair Bolsonaro já mudou neste ano o comando de três ministérios

Uma disputa por espaço entre a ala militar e a ala civil-ideológica é uma das responsáveis pelas mudanças recentes em ministérios do governo Jair Bolsonaro. A avaliação é do cientista político Emerson Cervi, professor da Universidade Federal do Paraná.

Segundo ele, mudanças como essas, neste período, são comuns e ocorrem de duas formas: com reformas ou mudanças paulatinas. O governo parece ter optado pela segunda forma, alterando um quadro de cada vez.

Para Emerson Cervi, os movimentos recentes mostram que o governo também percebeu que a combatividade da ala ideológica isolou excessivamente o Executivo dos outros poderes, especialmente do Legislativo.

Até agora, o presidente Jair Bolsonaro mudou neste ano o comando de três ministérios.

O deputado Osmar Terra, do MDB do Rio Grande do Sul, sai do Ministério da Cidadania, e volta à Câmara Federal. Onyx Lorenzoni, deixa a Casa Civil, e assume a Cidadania. E o general do Exército Walter Souza Braga Netto assume a Casa Civil.

Antes disso, na semana passada, o engenheiro Gustavo Canuto deixou o Ministério do Desenvolvimento Regional, sendo substituído pelo ex-deputado federal Rogério Marinho, do PSDB.

Compartilhar